Foi programado para o dia 11 de novembro um evento conclusivo da celebração do Ano do Laicato na Arquidiocese. É mais uma atividade que ressalta a presença ativa e operante na nossa Igreja. Os leigos apresentam o rosto da Igreja, dão visibilidade à caminhada da Igreja nas várias comunidades.

Os leigos manifestam a face da Igreja de muitas formas. Uma delas é quando se reúnem para celebrar o mistério de Cristo. Expressam a fé em Cristo e são alimentados para prosseguirem na caminhada. Talvez não avaliemos o quanto a sociedade é beneficiada porque os fiéis se unem para rezar.

Outra realidade onde o leigo tem papel fundamental é a formação da família. São os leigos que constituem a família, o embrião de toda a sociedade organizada. A formação de famílias cristãs, consistentes e ajustadas, repassam uma contribuição determinante no desenvolvimento das pessoas e na construção da paz na sociedade.

Mas o encontro do dia 11 de novembro quer chamar atenção para uma outra presença do leigo na Igreja: o serviço voluntário. Inspirados na mensagem do Evangelho, um número expressivo de cristãos dedica-se ao serviço de caridade. São milhares àqueles em nossa Arquidiocese que doam do seu tempo, das suas capacidades para dar mais qualidade à vida dos outros, sobretudo dos necessitados.

No fechamento do Ano Nacional do Laicato queremos, de alguma forma, realçar o testemunho de tantos leigos que tornam, com suas atividades, mais leve a vida de muitas pessoas. Temos certeza que o serviço de caridade transforma a face das comunidades e da sociedade. É uma das mais belas imagens da Igreja católica.

Por Dom Wilson Tadeu Jönck, scj

Artigo publicado na edição de novembro de 2018 do Jornal da Arquidiocese, pág. 02

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*