Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai, que está nos céus. Portanto, quem ouve estas minhas palavras, e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática, é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa! Quando Jesus acabou de dizer estas palavras, as multidões ficaram admiradas com seu ensinamento. De fato, ele as ensinava como quem tem autoridade e não como os mestres da lei.

Meditatio (meditação)
Minha meditação se concentra em torno da imagem proposta por Jesus. Visualizo diante de mim duas casas: a primeira está construída sobre a areia; a segunda, sobre a rocha.

Oratio (oração)
Senhor, sois minha Rocha. Sobre Vós está edificada minha vida, minha casa, minha família. Sustentai, minha Rocha, a edificação do meu ser. Sede meu sustentáculo, meu apoio seguro, minha fortaleza.
Quero ouvir vossas palavras, Senhor, e colocá-las em prática.

Contemplatio (contemplação)
Rezo com outros textos bíblicos que me falam de Deus a partir da imagem da Rocha, da firmeza, da segurança:
O justo crescerá como a palmeira, florirá igual ao cedro que há no Líbano; na casa do Senhor estão plantados, nos átrios de meu Deus florescerão. Mesmo no tempo da velhice darão frutos, cheios de seiva e de folhas verdejantes; e dirão: “É justo mesmo o Senhor Deus: meu Rochedo, não existe nele o mal!” (Salmo 91)
Assim como acolhestes o Cristo Jesus, o Senhor, assim continuai caminhando com ele. Continuai enraizados nele, edificados sobre ele, firmes na fé tal qual vos foi ensinada, transbordando em ação de graças. (Colossenses 2,6).

Missio (missão)
Rezo por minha família, pedindo a Deus o dom da escuta atenta à sua Palavra e a firmeza na fé.

Artigo publicado na edição de julho de 2020 do Jornal da Arquidiocese, página 8.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*