Lectio (leitura): “Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de
coração, e vós encontrareis descanso. Pois o meu jugo é suave e o meu fardo é leve” (Mt 11,29-30).

Meditatio (meditação): Jesus reprova a atitude dos fariseus porque “amarram pesados fardos e os colocam nas costas dos outros, mas eles próprios não os querem mover nem sequer com um dedo” (Mt 23,4). O fardo pesado do legalismo farisaico torna a vida desgastante e insuportável. Cansados e fatigados sob o peso do jugo da lei, os discípulos, os pobres em espírito (cf. Mt 5,3), encontram em Jesus descanso e alívio. Jesus chama-os a viverem em plena liberdade. Ele torna tudo leve e suave, porque é humilde, manso e afável para com todos. Jesus, contudo, não nos promete uma vida fácil. Para ser seu discípulo é preciso renunciar a si mesmo, tomar a cruz e segui-lo (cf. Mt 16,24). Todavia, consolados por seu amor e misericórdia, adquirimos força e vigor para superar os desafios de nossa jornada.

Oratio (oração): Jesus manso e humilde de coração, fazei o meu coração semelhante ao vosso!

Contemplatio (contemplação): “Um dos soldados abriu-lhe o lado com a lança, e logo saiu sangue e água” (Jo 19,34). Olhando para o coração transpassado de Jesus (cf. Jo 19,37), contemplemos o mistério de nossa salvação.

Missio (missão): Na Solenidade do Sagrado Coração de Jesus, queremos, como o discípulo amado, reclinar nossa cabeça sobre o peito do Senhor (cf. Jo 13,25). No Coração de Jesus encontramos o amor mais profundo e verdadeiro; um amor que se entrega e dá a vida. Nossa missão é a de transformar nosso coração de pedra em um coração de carne (cf. Ez 36,26), semelhante ao de Jesus; um coração manso e sensível, generoso e misericordioso, capaz de amar sem medidas.

Por Pe. Wellington Cristiano da Silva

Artigo publicado na edição nº 213 do Jornal da Arquidiocese

Junho de 2015

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*