Lectio (leitura)

“Jesus entrou num povoado e certa mulher, de nome Marta, recebeu-o em sua casa” (Lc 10,38).

Meditatio (meditação)

Marta é uma das mulheres mais próximas de Jesus. Irmã de Maria e Lázaro, Marta sempre recebia Jesus como um hóspede querido. Ela é uma verdadeira anfitriã. Sua maior preocupação estava em fazer com que Jesus se sentisse bem. Contudo, com frequência, ela tomava como ponto de partida suas necessidades e preocupações enquanto anfitriã, sem se voltar verdadeiramente para o convidado. Marta aprenderá com o Mestre que mais do que dar coisas, é preciso dar-se, ofertar-se, “gastar tempo” com quem amamos. Suas preocupações e lidas diárias podem lhe tirar a alegria de experimentar “a melhor parte” (Lc 10,42). Modelo de serviço, Marta mostra para onde o caminho espiritual deve seguir: para o amor cuidadoso. Sua solicitude e diakonia revelam que sua vida não gira em torno de si mesma: Marta tem empatia por seu convidado.

Oratio (oração)

“Pai todo-poderoso, cujo Filho quis hospedar-se em casa de Marta, concedei por sua intercessão que, servindo fielmente a Cristo em nossos irmãos e irmãs, sejamos recebidos por vós em vossa casa” (Oração da coleta).

Contemplatio (contemplação)

Marta, diante de Jesus que veio em sua casa para restaurar a vida de Lázaro, seu irmão, professou sua fé no Cristo Senhor: “Senhor, eu creio firmemente que tu és o Messias, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo” (Jo 11,27). Como Marta, contemplemos e professemos nossa fé em Cristo, nossa Ressurreição, nossa Vida (cf. Jo 11,25).

Missio (missão)

Marta assume em sua vida o exemplo de seu Mestre. Na ceia de Betânia, ela está no meio de seus irmãos e irmãs como aquela que serve (cf. Jo 12,2; Lc 22,27). Mulher trabalhadora e dedicada, Marta é padroeira dos hospedeiros e das mulheres que se empenham no cuidado do lar. Nossa missão consiste em servir nossos irmãos e irmãs como Marta serviu a Cristo. Jesus a exortou – e também exorta a cada um de nós – a unir ao serviço da hospitalidade e à escuta amorosa de sua Palavra. Atentos à Palavra do Senhor, aprendemos na escola de Jesus como bem servir e acolher nossos convidados: os pobres, os pequenos, os humildes…

Por Pe. Wellington Cristiano da Silva

Artigo publicado na edição nº 225 do Jornal da Arquidiocese

Julho de 2016

1 Comentários, RSS

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*