Lectio: “Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: ‘Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade’” (Jo 1,47).

Meditatio: O chamado de Natanael é modelo para todas as vocações. Embora sejamos escolhidos por Deus antes mesmo de existirmos, a compreensão do nosso chamado passa por um processo de discernimento e escuta atenta. A vocação não é imediata, mas é fruto de um encontro. A comunidade se torna indispensável neste processo. É Filipe que, depois de ter se encontrado com o Senhor, conduz Natanael a Jesus: Encontramos Aquele que tanto buscamos. “Vem ver!” (Jo 1,46).  Depois de superar uma certa desconfiança e ceticismo, Natanael faz sua experiência de encontro pessoal com Jesus. O Mestre reconhece suas qualidades. Natanael é um homem verdadeiro, sem falsidade. Jesus já o conhecia bem antes de encontrá-lo. Deus sempre nos vê primeiro. Ele nos ama, nos chama e nos confia uma missão, associada a nossa história de vida. Desse encontro, dessa experiência de ir em busca, nasce a vocação de Natanael e nasce, igualmente, a nossa vocação.

Oratio: Enviai, Senhor, operários para a vossa messe, porque a messe é grande e os operários são poucos!

Contemplatio: “Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem” (Jo 1,51). A promessa do sonho de Jacó (Gn 28,10-22) se cumpre em Jesus. Cristo é a escada que une céu e terra, Deus e a humanidade. As portas do céu se abriram e podemos contemplar em nossos corações tamanho mistério.

Missio: “Vem ver!” (Jo 1,46). Esse é o convite que Filipe nos lança hoje. É preciso sair e ver os sinais do chamado de Deus em nossas vidas. O encontro pessoal e íntimo com o Senhor é garantia de vida nova. Estamos vivendo a Ação evangelizadora “Cada comunidade uma nova vocação”. Nossa missão é a de rezar ao Senhor da messe para que envie operários para sua messe. Como Filipe, precisamos levar as pessoas a se encontrarem com Jesus. E sabemos que em nossa comunidade o Espírito Santo continua suscitando vocações. Vamos nos unir ao clamor do Espírito e promover uma verdadeira cultura vocacional em nossas comunidades cristãs.

Por Pe. Wellington Cristiano da Silva
Artigo publicado na edição de agosto/2018, nº 248, do Jornal da Arquidiocese, página 08.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*