Festa de Santa Maria Madalena, apóstola dos apóstolos

Lectio (leitura) – Ct 3,1-4

Eis o que diz a noiva: Em meu leito, durante a noite, busquei o amor de minha vida: procurei-o, e não o encontrei. Vou levantar-me e percorrer a cidade, procurando pelas ruas e praças o amor de minha vida: procurei-o, e não o encontrei. Encontraram-me os guardas que faziam a ronda pela cidade. “Vistes por ventura o amor de minha vida?”. E logo que passei por eles, encontrei o amor de minha vida.

Meditatio (meditação)

O amor procura, espera, percorre a cidade pelas ruas e praças. E, porque espera, encontra. Maria Madalena é a primeira a contemplar Jesus Ressuscitado, amor de sua vida. Porque amava muito a Jesus, permaneceu ao lado do sepulcro, mesmo quando a esperança parecia findar. Porque amava muito a Jesus, ouviu dele seu nome, “Maria”, com alegria que lhe fez anunciar aos apóstolos a vitória da vida sobre a morte.

Oratio (oração) – Rezar a música

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco!
A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água!
Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.

Contemplatio (contemplação)

O Cântico dos Cânticos apresenta o encontro com Deus como uma relação de amor, num contexto esponsal. O amado e a amada buscam a presença um do outro, elogiam um ao outro, querem manter viva e forte a chama do amor, que é mais forte que a morte e que nunca se apagará. O testemunho de Maria Madalena nos fala de amor. Nosso Deus é amor e o amor é o caminho mais excelso, a via principal de acesso a Deus.
Contemplo o amor de Deus e busco amá-lo com todo o meu ser.

Missio (missão)

O amor a Jesus me faça procurar, esperar, encontrar, anunciar.

Artigo publicado na edição de julho de 2019 do Jornal da Arquidiocese, página 08

Por Pe. Paulo Stippe Schmitt

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*