Festa de Santa Maria Madalena, apóstola dos apóstolos

Lectio (leitura) – Ct 3,1-4

Eis o que diz a noiva: Em meu leito, durante a noite, busquei o amor de minha vida: procurei-o, e não o encontrei. Vou levantar-me e percorrer a cidade, procurando pelas ruas e praças o amor de minha vida: procurei-o, e não o encontrei. Encontraram-me os guardas que faziam a ronda pela cidade. “Vistes por ventura o amor de minha vida?”. E logo que passei por eles, encontrei o amor de minha vida.

Meditatio (meditação)

O amor procura, espera, percorre a cidade pelas ruas e praças. E, porque espera, encontra. Maria Madalena é a primeira a contemplar Jesus Ressuscitado, amor de sua vida. Porque amava muito a Jesus, permaneceu ao lado do sepulcro, mesmo quando a esperança parecia findar. Porque amava muito a Jesus, ouviu dele seu nome, “Maria”, com alegria que lhe fez anunciar aos apóstolos a vitória da vida sobre a morte.

Oratio (oração) – Rezar a música

Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco!
A minh’alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água!
Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.

Contemplatio (contemplação)

O Cântico dos Cânticos apresenta o encontro com Deus como uma relação de amor, num contexto esponsal. O amado e a amada buscam a presença um do outro, elogiam um ao outro, querem manter viva e forte a chama do amor, que é mais forte que a morte e que nunca se apagará. O testemunho de Maria Madalena nos fala de amor. Nosso Deus é amor e o amor é o caminho mais excelso, a via principal de acesso a Deus.
Contemplo o amor de Deus e busco amá-lo com todo o meu ser.

Missio (missão)

O amor a Jesus me faça procurar, esperar, encontrar, anunciar.

Artigo publicado na edição de julho de 2019 do Jornal da Arquidiocese, página 08

Por Pe. Paulo Stippe Schmitt

1 Comentários, RSS

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*