A Infância e Adolescência Missionária (IAM) na Arquidiocese de Florianópolis teve que se adaptar à nova realidade eclesial deste tempo de pandemia. Segundo a coordenadora arquidiocesana da IAM, Patrícia Dayane Dadam, além de alguns encontros online, os assessores têm deixado material na secretaria paroquial para os pais buscarem e trabalharem com as crianças. “A maioria dos assessores estão deixando o material na secretaria da igreja e acompanham por Whatsapp as crianças e adolescentes, que fazem as atividades em casa”, explica Patrícia.

Junto com seu esposo Gustavo, Maria Carolina Caetano Baião é assessora da IAM desde 2019, na Paróquia São João Bosco, em Itajaí. Para ela, o maior desafio é não deixar o sentido da IAM morrer no caminho iniciado recentemente na comunidade. “As crianças estão sentindo muito a falta desse contato semanal presencial que não podemos ter nesse momento. Acredito que a falta de poder tocar um no outro é a pior parte do que estamos vivendo”, desabafa a assessora.

A equipe de Coordenação da Infância e Adolescência Missionária está realizando reuniões quinzenais a nível arquidiocesano com os assessores, para escuta e formação. Para mais informações, entre em contato Patricia Dadam, no Whatsapp: (47) 99748-1658.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*