O Salmo 148 é um hino de louvor, mas, diferentemente do Salmo 136 que multiplica os motivos, esse salmo multiplica os convidados.

A sua estrutura é repartida em duas partes que se repetem:

A: convite ao louvor (vv. 1-4); B: louvem o nome do Senhor (v. 5); C: porque… (v. 5-6);

A’: convite ao louvor (vv. 7-12); B’: louvem o nome do Senhor (v. 13); C’: porque… (v. 13-14);

Cada parte corresponde ao lugar de origem dos seres:

“Desde o céu… nas alturas”: anjos, exércitos (a coorte celeste), sol e lua, estrelas, céu dos céus, águas do alto céu (vv. 1-6).

“Desde a terra… abismos”: monstros marinhos / raios, granizo, neve e bruma, vento,  / montes, colinas, / árvores frutíferas, cedros, / feras e animais domésticos, répteis, aves, / reis, povos, príncipes, chefes,  jovens, donzelas, velhos, crianças (vv. 7-14).

O coro celeste (7 seres, e 7 convites “louvai-o”) aparece hierarquizado, enquanto o coro terrestre (22 seres, número de letras do alfabeto hebraico) aparece em crescimento (seres humanos são maioria). O salmo exprime na sua forma toda a harmonia do universo.

Para o salmista, tudo o que está no céu e na terra, isto é, todo o universo, é obra de Deus e chamado a exaltá-lo, pois seu “nome é sublime” e Ele está acima de toda criatura (vv. 5-6.13-14).

No Novo Testamento, S. Paulo exprime esse louvor ao nome de Cristo: “Por isso Deus soberanamente o elevou e lhe conferiu o nome que está acima de todo nome, a fim de que ao nome de Jesus todo joelho se dobre – nos céus, na terra e no abismo – e toda língua proclame, para a glória de Deus Pai, que Jesus Cristo é o Senhor” (Fl 2,9-11).

 

Leia o salmo e reflita:

1) O que o salmista exprime convidando todos os seres ao louvor?

2) Quão próximos estão esse salmo e Dn 3,51-90?

Por Pe. Gilson Meurer

Artigo publicado na edição de abril/2018, nº 244, do Jornal da Arquidiocese, página 08.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*