cartaz_CF_2015_45x63FINAL.aiNo próximo final de semana, 28 e 29 de março, dioceses, paróquias e comunidades de todo país celebrarão o Domingo de Ramos, dia em que cristãos fazem memória a entrada de Jesus em Jerusalém.

É nessa data que a Igreja também realiza a Coleta Nacional da Solidariedade, gesto concreto da Campanha da Fraternidade, onde todas as doações financeiras realizadas pelos fiéis farão parte dos Fundos Nacional e Diocesanos de Solidariedade.

Os Fundos Solidários, mais do que mecanismos de financiamento de projetos, são instrumentos da economia comunitária a serviço do desenvolvimento local, visto que os projetos sociais apoiados devem cumprir um papel de fortalecimento das organizações locais, das dinâmicas geradoras do desenvolvimento local / comunitário, econômico e social.

Em 1998, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – CNBB aprovou a criação da coleta da solidariedade, durante a 36ª Assembleia, determinando a seguinte distribuição dos recursos: 60% do total da coleta permanecem na Arquidiocese e compõem o Fundo Arquidiocesano de Solidariedade – FAS.

Os recursos são destinados ao apoio de projetos sociais e projetos de geração de trabalho e renda na própria Arquidiocesana. Os 40% dos recursos restantes compõem o Fundo Nacional de Solidariedade – FNS que são revertidos para o fortalecimento da solidariedade entre as diferentes regiões do país.

Fonte: Ação Social Arquidiocesana (ASA)

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*