Celebramos, no dia 30 de agosto, 50 anos de caminhada da Igreja nas Casas na Arquidiocese de Florianópolis. Os testemunhos partilhados dão conta de que um rastro de divina luz é construído através da dedicação de uma multidão de mulheres e homens, animadores, animadoras e demais participantes dos Grupos Bíblicos em Família. Neste modelo de Igreja nas Casas, desde as primeiras comunidades cristãs, se faz particularmente presente a Palavra de Deus, “lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos” (cf. Sl 119,105).

Nos documentos da Igreja, a partir do Vaticano II (Dei Verbum, Medellin, Puebla, Santo Domingos, Aparecida, Verbum Domini…), encontramos expressões que revelam a importância da Palavra de Deus na vida de cada ser humano e na missão da Igreja no mundo. Eis algumas delas: é a alma de toda pastoral; é o centro de toda atividade eclesial; é o coração da vida cristã; é seiva da árvore da vida plena; é a rocha sobre a qual se constrói a Igreja; é o sangue do corpo de Cristo: o povo de Deus; é fonte de vida, justiça e paz; é o alimento dos agentes do Reino de Deus; é a força do(a) discípulo(a) missionário(a); é o contato que atinge toda a vida; é o fio condutor no caminho da fraternidade universal; é o lugar privilegiado de encontro com Jesus Cristo; a Palavra de Deus transmite a salvação a toda pessoa que crê… São imagens riquíssimas que ajudam a despertar a nossa consciência para o principal elemento que promove a unidade na diversidade de todos os membros do Corpo Místico de Cristo, garantindo-lhe vida em abundância e energia para difundi-la pelo mundo afora.

Jesus de Nazaré “cresceu em sabedoria e graça diante de Deus e das pessoas” (Lc 2,52) ouvindo e meditando a Palavra de Deus contida na Sagrada Escritura. Em seu ministério público demonstrou, com toda a clareza, que a Palavra liberta, cura, salva, integra, vence barreiras… Ele não apenas anunciou a Palavra, mas a praticou de tal maneira que se tornou Palavra encarnada: Caminho, Verdade e Vida para todas as pessoas que desejam segui-lo de coração sincero.

Consciente da importância fundamental da Palavra de Deus na vida dos cristãos e das cristãs, a Igreja no Brasil, desde 1971, instituiu o mês de setembro como o Mês da Bíblia, em homenagem a São Jerônimo, grande biblista na história da Igreja. Para cada ano é proposto um tema não só para estudo e reflexão, mas para que seja transformado em prática efetiva no cotidiano de nossa vida. Para este ano, o tema escolhido foi tirado do livro do Deuteronômio: “Abre a tua mão para teu irmão” (Dt 15,11).

O Deuteronômio é um livro que contém uma variedade de leis referentes às relações com Deus e com o próximo, visando promover a justiça e praticar a solidariedade com as pessoas em situação de necessidades: pobres, órfãos, viúvas e estrangeiros. O tema do mês da Bíblia faz parte do contexto da lei do ano sabático, também conhecido como ano da remissão, que consistia (de sete em sete anos) no perdão mútuo de todas as dívidas (Dt 15,1-11). Assim seriam mantidas a justiça social e a fraternidade.

Justiça e fraternidade são princípios que Jesus assumiu com radicalidade. Tendo isto em vista nos indicou, com gestos concretos, como abrir a mão para os nossos irmãos. Podemos segui-lo em todo o tempo e em todo o lugar. Também neste tempo de pandemia em que as reuniões devem ser evitadas, podemos abrir a mão aos irmãos e às irmãs a partir de nossa casa, com gestos de carinho, de compreensão, de respeito, de diálogo, de leitura e meditação da Palavra de Deus, de oração em comum; também há outras formas de nos comunicarmos com os demais membros do GBF e com outras pessoas, especialmente as que sofrem, manifestando nossa solidariedade. O amor é criativo; “onde há amor e caridade, Deus aí está”.

Para aprofundar o tema do mês da Bíblia e conhecer melhor o livro do Deuteronômio, confira o vídeo e texto em facasc.edu.br.

Por Celso Loraschi

Matéria publicada na edição de setembro de 2020 do Jornal da Arquidiocese, página 8.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*