os-doze-apostolosDeus, ao criar o homem, por pura bondade, criou-o livre e o fez participante da sua vida divina. E aqui está a mais sublime vocação do homem: a comunhão com Deus. Nesse caminho de comunhão, cada um de nós vai se tornando íntimo de Deus.

Deus sempre é o sujeito de toda vocação; é dele toda iniciativa, é ele quem chama. É Deus também quem acompanha o ser humano, para que este aceite e viva a sua vocação. O mesmo Deus que chama e acompanha, favorece a vocação, dando-lhe a eficácia e a perseverança até o fim.

Se Deus é o sujeito da vocação, o homem é, por sua vez, o interlocutor. É preciso então responder ao chamado de Deus. Essa resposta pede atitude: trilhar esse caminho vocacional. Para bem vivê-lo, é necessário ter fé, a exemplo dos grandes homens e mulheres da Sagrada Escritura, que responderam com generosidade ao chamado divino: Abraão (Gn 12,1), José do Egito (Gn 37,20), Moisés (Ex 7,7), Samuel (1Sm 1,10 ss), Saul (1Sm 9,2), Davi (1Sm 17,34s), Elias (1Rs 17,1), Isaías (Is 6,5), Jeremias (Jr 1,4), João Batista (Lc 1,5-7), Maria (Lc 1,28), os Apóstolos (Jo 1,35-39; Lc 6,12-16; Mc 3,13-14) e Paulo (At 22,21).

A Sagrada Escritura nos confirma que a vocação, quando correspondida, faz com que a pessoa fale e aja em nome do próprio Deus. Por isso afirmamos que toda vocação implica em uma missão. Essa missão exige uma resposta pessoal e livre. Somos todos convidados a responder com generosidade o chamado que Deus nos faz.

É preciso ter a convicção de que Deus acompanha sempre o vocacionado. Sua proteção é necessária à fraqueza humana. Em sua bondade, Deus ajuda a vencermos as dúvidas, os fracassos e a tentação de fugir ao seu plano de amor.

Cada cristão é convidado a crescer em santidade, nossa vocação primeira, sendo fiel a Deus que nos chama. É preciso procurá-lo, amá-lo e servi-lo. Foi o que fizeram os grandes vocacionados ao longo de toda a história da salvação.

Que neste mês dedicado às vocações, busquemos também nós sermos fiéis, correspondendo diariamente às graças que recebemos. Como Maria, a virgem fiel e grande vocacionada do Pai, queremos responder ao chamado que Deus fez e faz a cada um de nós. Estejamos atentos aos apelos de Deus que não chama apenas os capacitados, mas capacita os que chama, para o serviço em seu Reino.

 

Por Diácono Murilo Guesser

Artigo publicado na edição de agosto do Jornal da Arquidiocese, página 08. 

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*