Nesta semana três dias de chuvas persistentes causaram destruição em mais de 25 cidades ao sul de Santa Catarina. Em Tubarão, por exemplo, município com pouco mais de 100 mil habitantes que decretou situação de emergência por causa das enchentes, a madrugada da última quinta-feira, dia 5 de maio, obrigou famílias inteiras a procurarem a Paróquia Catedral Nossa Senhora da Piedade.

Catedral acolhe 600 pessoas na madrugada

O Rio Tubarão transbordou e, segundo o Pe. Eduardo Rocha, o local precisou abrigar cerca de 600 pessoas, entre idosos acima de 80 anos, doentes, bebês de poucos meses e animais de estimação. Mas, é desde terça-feira (3) que a catedral abriu as portas para acolher as famílias.

“Em 1974 teve uma enchente de grandes proporções, com muitas mortes. Então, existe uma memória partilhada, histórica, da catedral como local seguro, onde se pode acolher as pessoas. Nesta madrugada, quando o rio subiu muito, nós acolhemos em torno de 600 pessoas dentro da catedral, oferecendo alimentação, roupa, banho e produtos de higiene. Uma equipe de médicos também estava à disposição com atendimento e medicamentos. Agora estamos com cerca de 150 pessoas alojadas, porque o rio continua alto”, afirmou.

Campanha de doações

O Pe. Eduardo conta ao Vatican News que estão oferecendo todas as refeições: café da manhã para 400 pessoas e o almoço foi servido a 200 pessoas. Diariamente, cerca de 500 leigos trabalham voluntariamente para a catedral e estão ajudando no acolhimento. Uma grande campanha de doações – de travesseiros, cobertores e roupas a fraldas, produtos de limpeza e mantimentos – está mobilizando a comunidade para ajudar quem precisou abandonar a sua casa. Quem puder ajudar, basta entrar em contato com a catedral pelos telefones (48) 3622 1631 ou 99665 4154.

Com a lotação máxima na catedral diocesana, outros locais foram abertos para socorrer as famílias desalojadas, entre o salão paroquial da Igreja do Bairro Morrotes e também a Arena Multiuso Prefeito Estêner Soratto da Silva – preparada para receber cerca de 300 pessoas. Segundo informações da Defesa Civil nesta quarta-feira (4), 10 mil pessoas haviam sido afetadas no município por causa de alagamentos, deslizamentos de terra ou quedas de árvores e muros. A situação deixou rodovias interditadas e aulas suspensas.

Fonte: Vatican News
Fotos: Diocese de Tubarão

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*