Criada há menos de 100 anos, a Festa de Cristo Rei instituída pelo Papa Pio XI ganhou lugar significativo no calendário cristão. Em 2016, a festa foi no dia 20 de novembro cujo a Igreja celebrou a solenidade para Jesus, o soberano de todos os reis da terra.unnamed-5

A festividade é reconhecida pelas Igrejas Católica e Anglicana, além de protestantes, como os presbiterianos, luteranos e metodistas. Foi criada em uma época em que crescia muito a rejeição aos ensinamentos da Igreja. Vendo o avanço do pensamento laicista que colocava de lado os ensinamentos sagrados, especialmente no que se refere à moral e à dignidade humana, o Santo Padre percebeu que era necessário e urgente chamar os fiéis ao reconhecimento de que Cristo é o Rei do universo. Como o próprio Jesus disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida” (Jo 14,6). A solenidade marca o encerramento do ano litúrgico.

Nesta data também é comemorado o dia nacional dos cristãos leigos, que são sujeitos da ação pastoral, com uma grande missão dentro e fora da igreja. São agentes que ajudam na manutenção, organização e ação da comunidade eclesial. Participam ativamente na conversão, evangelização e da aproximação à Igreja daqueles que nunca ouviram falar de Jesus.

O desafio aos leigos e a toda comunidade é aproveitar a festa de Cristo Rei e refletir que para alcançar do Reino de Deus é preciso seguir os passos de Jesus. Ter a consciência que a cruz não foi o fracasso de Cristo, mas que a sua ressurreição foi a grande vitória sobre o mal, o pecado e a morte. Aclamá-lo Rei vai além de qualquer comparação com reis e rainhas de que se têm registro na história da humanidade. Jesus não foi Rei apenas naquele momento em que entrou em Jerusalém montado no jumento ou quando coroado com espinhos e coberto com manto vermelho sofrendo gozação e flagelo. Jesus foi e é o Rei que aceitou a vontade do Pai em ser despido, transpassado pela lança e ser reconhecido como o Rei da paz e de um amor infinito até a morte. O seu Reino é de amor por toda a humanidade e toda a criação.

Que esse dia especial toque o coração de todos e fortaleça o sentimento de esperança em alcançar a salvação vivendo já aqui na terra, com a luz do Espírito Santo, a libertação do pecado, a vida humilde e fraterna, a reconciliação com os irmãos e o despertar para a vocação do leigo.

Por: Erlon Costa
Administrador na Cúria Metropolitana

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*