missao marajo sem (1)Oito seminaristas da Arquidiocese de Florianópolis foram à região norte do país participar de 22 dias de missão. Trata-se do Projeto Pentecostes, uma iniciativa do Pe. D’Artagnan de Almeida, da Diocese de Mariana (MG), em parceria com a prelazia de Marajó e a paróquia de Bagre (PA).

“A ideia surgiu no Retiro Nacional de Seminaristas (Renasem) do ano passado, que aconteceu em Florianópolis. O objetivo era proporcionar aos participantes um momento de missão durante o período de férias, para aprofundarem a experiência missionária”, explica Alex Macedo de Liz, de 20 anos.

Ao todo, 37 pessoas se uniram na missão na cidade de Bagre, na Prelazia de Marajó, entre eles seminaristas de São Paulo, Goiás e Brasília, religiosas, padres e, inclusive, um casal com suas duas filhas. “Foi enriquecedor ver essas expressões de vida consagrada unidas em uma mesma missão”, destacou Joel Schvambach, 23.

Alex conta que a missão em Bagre foi realizada em duas etapas. A primeira aconteceu na região central do município, que abriga aproximadamente 12 mil habitantes. Ali eram feitas as visitas de porta em porta e, à tarde, um trabalho de catequese e brincadeiras com as crianças. Às 18h, acontecia a Missa. Já a segunda etapa foi nas áreas ribeirinhas, onde os missionários passavam alguns dias nas casas dos moradores e organizavam momentos de evangelização com a comunidade local, incluindo formação, oração do terço e leitura orante da Palavra.

missao marajo sem (2)Os desafios eram grandes, a começar pelo percurso de 12 horas de barco que fizeram de Belém (PA) até o centro de Bagre. “Inclusive o barco se mexia muito durante a madrugada, por vezes nos dava certo medo”, expressou o seminarista José Vitor, 19, agora rindo da situação. E não só as viagens de barco, mas também a alimentação, dormir em rede, tomar banho de rio, entre outras realidades.

Porém, é de graças que os seminaristas preferiram falar. “A questão missionária e o motivo pelo qual estávamos lá é maior do que os desafios e os medos que surgiram”, enfatizou Luiz Fraga, 22. Para ele “a missão está intrínseca ao chamado do discípulo, nos sentimos impulsionados a ir anunciar este amor que nos encontrou primeiro”, declara.

Outros detalhes sobre a missão em Marajó e a entrevista completa gravada com os seminaristas, você confere abaixo:

 

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*