DSC_2646O Arcebispo celebrou a Missa de Finados na segunda-feira, 02 de novembro, na Catedral em Florianópolis.

Pouco antes do final da Celebração, Dom Wilson Tadeu Jönck, scj, fez uma oração em sufrágio pelos bispos falecidos, junto à sepultura deles, na capela de Nossa Senhora das Dores, na Catedral.

Durante a homilia, o Arcebispo lembrou que rezar pelos mortos representa que se acredita na ressurreição. “Ter fé na ressurreição significa viver, ser salvo. Nesse dia de Finados possamos renovar nossa fé na ressurreição, na vida eterna”, lembrou Dom Wilson.

Confira as fotos desta Missa.

Os arcebispos sepultados na Catedral

Dom Afonso Niehues faleceu em 1993, e Dom Joaquim Domingues de Oliveira, em 1967. Dom Joaquim esteve à frente da diocese, depois Arquidiocese de Florianópolis, por 53 anos, de 1914 a 1967. Substituindo Dom João Becker, foi o segundo bispo do estado, de 1914 até 1927, quando foram criadas as dioceses de Lages e de Joinville, e Florianópolis tornou-se sede da Província Eclesiástica de Santa Catarina e, portanto, Arquidiocese. Dom Joaquim passou, então, a ser o primeiro arcebispo de Florianópolis.

Dom Afonso guiou a arquidiocese, primeiramente como arcebispo coadjutor, de 1965 a 1967, quando morreu Dom Joaquim, e, desde então, como terceiro arcebispo de Florianópolis, até 1991. Foi ele quem introduziu as diretrizes inovadoras do Concílio Vaticano II.

Detalhes históricos da vida de Dom Joaquim e de Dom Afonso, no  Blog do Pe. José Artulino Besen: http://bit.ly/1ritYQc

 

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*