No dia 13 de agosto, a Igreja celebra o Dia de Santa Dulce dos Pobres, conhecida como Anjo bom da Bahia. Será o primeiro ano, após sua canonização realizada no dia 13/10/2019.

Conhecida por suas obras de caridade e assistência aos pobres e necessitados, Santa Dulce deixou como principal legado o amor incondicional ao Cristo presente no irmão que sofre com a miséria e a injustiça. Como afirmou Papa Francisco na homilia da missa de canonização: as pessoas que se dedicam ao serviço dos mais pobres na vida religiosa fizeram “um caminho de amor nas periferias existenciais do mundo”.

No mês de julho foi inaugurado na Arquidiocese de Florianópolis o Centro de Integração Social Santa Dulce dos Pobres. Uma obra coordenada pela Ação Social Arquidiocesana (ASA) em parceria com diversas outras organizações sociais de Florianópolis. O Centro Social está localizado na Vila Aparecida – Coqueiros, uma das comunidades com maior índice de vulnerabilidade social do município. Diante da pandemia, com o objetivo de proporcionar segurança alimentar e nutricional às famílias da comunidade, foi estruturado uma cozinha comunitária que no primeiro mês distribuiu mais de 1.000 refeições para a população. Além da cozinha comunitária e de ações emergenciais que estão sendo realizadas pela ASA deste o início da pandemia, também está planejado a organização de grupos de costura, padaria comunitária e cursos de português e capacitação profissional para imigrantes.

Outras informações sobre o Centro de Integração Social Santa Dulce dos Pobres poderão ser obtidas diretamente na ASA, telefone: (48) 3224 87 76 ou e-mail: [email protected]

Escrito por: Fernando Anísio Batista

Artigo publicado na edição de setembro do Jornal da Arquidiocese, pág. 5.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*