“Imigração é algo permanente”.

Na quinta-feira, 1º de fevereiro, foi inaugurado oficialmente o primeiro Centro de Referência de Atendimento ao Imigrante (CRAI), do Estado de Santa Catarina.

O espaço fica localizado na Rua Tenente Silveira, 225 (Sala 01), centro da Capital e será coordenado pela Ação Social Arquidiocesana (ASA), com apoio da Pastoral do Imigrante da Arquidiocese de Florianópolis. A ASA foi escolhida através de licitação. A expectativa é atender 30 pessoas ao dia.

No local, seis profissionais vão acompanhar e orientar os imigrantes e refugiados. Entre eles, o haitiano Jean Samuel Rose, que há seis anos mora em Florianópolis e concluiu o curso de Mestrado em Economia, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Ele vai começar a trabalhar como assistente administrativo.

O haitiano Jean Samuel vai trabalhar no CRAI

“Eu ganhei uma bolsa de estudos e fiz graduação e mestrado na UFSC. Agora que terminei, vou mudar meu visto de estudante para o de trabalho, de acordo com a nova lei da imigração. E espero iniciar logo o trabalho aqui no CRAI”, acredita Jean Rose.

Imigração é algo permanente”, destacou Dom Wilson Tadeu Jönck.

Presente na inauguração, o Arcebispo afirmou que estava descrente quanto à abertura do centro. “Há três anos que esperamos por este momento, agora é ir adiante. Agradeço a ASA e aos padres scalabrinianos que levaram em frente este trabalho, diante do que era possível. Os scalabrinianos tem como objetivo atender os imigrantes. O que torna este trabalho mais importante. Como governo é preciso ter uma política de acolhida. Não tem coisa mais atual do que a imigração. Imigração é algo permanente”, destacou Dom Wilson Tadeu Jönck.

O secretário de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, Valmir Comin, explica que “infelizmente, não podemos contar com os recursos do governo federal, através de um convênio firmado em 2016 com o Ministério da Justiça. No final do ano rescindimos o contrato, com a orientação do próprio ministério. Em 2018, por uma iniciativa do Governo do Estado, assumimos o CRAI com recursos próprios, no valor de R$ 300 mil por ano”. O espaço físico foi cedido pela Secretaria de Segurança Pública.

Luciano Leite, da ASA, será o coordenador do centro

O CRAI vai ser um centro de referência para os imigrantes e potencializar o trabalho que estava sendo desenvolvido até agora pela Pastoral do Migrante. “A pastoral tem uma dinâmica de trabalho própria de uma pastoral, só que ela estava fazendo muito além do que é a essência desta. Então, o CRAI vai atuar na questão da integração, do atendimento emergencial, de tentar articular as políticas públicas para os imigrantes e aí vai desafogar uma grande parte desta pastoral”, assegurou o coordenador do centro e técnico em projetos sociais da ASA, Luciano Leite.

O objetivo de Centro de Referência é o atendimento do imigrante. Teremos um pessoal que vai estar voltado para o atendimento de proteção e de acesso à escola, saúde e tentar articular as políticas públicas junto à integração ao mercado de trabalho, possibilitando ao imigrante ter uma renda e modificar o seu padrão da vida social”, complementou Luciano.

 

Após a inauguração, o Arcebispo concedeu a bênção no local.

 

Funcionamento e localização do CRAI

Começa atender a partir da próxima segunda-feira, 05 de fevereiro

De segunda e sexta, das 09h às 12h e das 14h às 17h30

Rua Tenente Silveira, 225, Edifício Hércules, Sala 01, centro de Florianópolis

Inf.: (48) 3665-4322

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*