Coronel Araújo Gomes

Na Quarta-feira de Cinzas, 14 de fevereiro, o Arcebispo Metropolitano, Dom Wilson Tadeu Jönck, scj, concede uma coletiva de imprensa para o lançamento da Campanha da Fraternidade (CF) 2018 que tem como tema, “Fraternidade e superação da violência”, e com o lema “Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8)”. A coletiva será às 09h30, na Cúria Metropolitana (Rua Esteves Júnior, 447 – Centro).

Alceu Oliveira

Presenças confirmadas na coletiva do novo secretário de Segurança Pública de Santa Catarina (SSP), o advogado e professor de Direito, Alceu de Oliveira Pinto Junior e do subcomandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), Coronel Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior.

A violência

Nos cinco primeiros meses de 2017, somente em três semanas foram assassinadas no Brasil mais pessoas do que o total de mortos em todos os ataques terroristas no mundo, os quais envolveram 498 casos, resultando em 3.314 vítimas fatais. Estes dados são do Atlas da Violência 2017, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP). O estudo analisa os números e as taxas de homicídio no país, entre 2005 e 2015.

Eis um dos dados mais surpreendentes do estudo: a Guerra do Vietnã (1955-1975), o conflito mais longo do século XX, teve 1,1 milhão de civis mortos, enquanto os homicídios no Brasil (1995-2015) chegaram à marca de 1.033.813 mortos. Em 2015 foram 59.080 vítimas, o que equivale a 161 mortos por dia no país. O número de pessoas assassinadas diariamente corresponde à queda de um Boeing 737 cheio de passageiros.

No Brasil, 60 mil jovens foram assassinados em 2016.

Em Santa Catarina, segundo estatística da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP), no ano de 2017 foram registradas 985 vítimas de homicídio. O que equivale a 14,3 mortes a cada 100 mil habitantes. De 1º a 31 de janeiro de 2018, a SSP contabilizou 79 mortes no Estado.

Na Capital do Estado, foram 150 vítimas de homicídio durante 2017, segundo a SSP, o que corresponde a 31,4 homicídios a cada 100 mil habitantes. De 1º a 30 de janeiro de 2018, foram 13 mortes.

A Campanha

Esta estatística da violência só aumenta em nível local e nacional. Não se leva em conta aqui, o âmbito mundial. Assim, a Campanha da Fraternidade (CF 2018) busca refletir este quadro com o tema “Fraternidade e superação da violência”, e com o lema “Em Cristo somos todos irmãos (Mt 23,8)”.

Coordenada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e realizada no período da Quaresma, a CF envolve todas as comunidades cristãs católicas do Brasil.

Deseja-se refletir a realidade da violência, rezar por todos os que sofrem violência e unir as forças da comunidade para superá-la. Pretende-se, ainda, lançar um olhar para os impasses que, há décadas, dominam as políticas públicas de segurança.

 

Ações de superação da violência

No texto-base da Campanha da Fraternidade 2018, sugere-se que a superação da violência será de diversos modos:

– Na relação com o outro.

– No cuidado, no jeito de agir, perdoar, amar, viver e ouvir.

– Na cultura da paz, que acontece em todas as realidades da vida, na relação com todos os seres.

– Na família, o primeiro lugar onde o ser humano aprende a se relacionar.

– Na conversão pessoal e social, nas mudanças de atitudes e comportamentos, na oração e na espiritualidade, principalmente no tempo da Quaresma.

Ninguém nasce violento. Contudo, a pessoa pode vir a ser violenta. O comportamento violento pode ser aprendido na família e reaplicado socialmente nas relações ao longo da vida.

Serviço
Lançamento da Campanha da Fraternidade 2018
Coletiva de imprensa
14 de março
09h30
Cúria Metropolitana
Rua Esteves Júnior, 447 – Centro
Florianópolis

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*