26207385401_95a7e7e26f_o“Cristãos Leigos e Leigas na Igreja e na Sociedade”

Documento sobre o laicato é aprovado na 54ª Assembleia dos Bispos em Aparecida

Aparecida (SP) foi o palco da 54ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), de 06 a 15 de abril. Cerca de 320 bispos, incluindo o Arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, participaram do evento, no Centro de Eventos Padre Vítor Coelho de Almeida, no Santuário Nacional.

O Arcebispo de Brasília e presidente da CNBB, Dom Sérgio da Rocha, na cerimônia de encerramento, no dia 15 de abril, declarou que foram dias intensos de trabalhos, mas com muitos frutos. “Temos certeza que os frutos do que foi semeado nessa assembleia acontecem pela graça de Deus”, complementou Dom Sérgio.

Durante os dias do encontro, os bispos também divulgaram declarações sobre as Eleições 2016 e o momento atual do país. “Acreditamos no diálogo, na sabedoria do povo brasileiro e no discernimento das lideranças na busca de caminhos que garantam a superação da atual crise e a preservação da paz em nosso país. Pedimos a oração de todos pela nossa Pátria. Do Santuário de Nossa Senhora Aparecida, invocamos a bênção e a proteção de Deus sobre toda a nação brasileira”, citou a presidência da entidade, no documento sobre a situação do Brasil.

Na pauta principal do encontro anual dos bispos esteve a questão dos leigos. Um documento sobre os leigos foi estudado e aprovado com o título “Cristãos Leigos e Leigas sujeitos na Igreja e na Sociedade”, e o subtítulo “Sal da Terra e Luz do Mundo”.

O vigário geral da Arquidiocese, Pe. Vítor Galdino Feller, foi convidado pela presidência da CNBB, para assessorar a comissão do tema central da assembleia, na elaboração do documento. O tema já havia entrado nas assembleias anteriores, porém, os textos não tinham sido aprovados.

“O texto está formatado em três grandes partes. O ver, sobre a realidade dos leigos; o jugar, como é que a Igreja entende o lugar e a missão deles; e o agir, qual é a missão dos leigos, na Igreja e no mundo. A grande novidade é apresentar os cristãos leigos e leigas como sujeitos, ou seja, terem uma identidade, uma vocação, uma espiritualidade, uma missão própria”, explicou Pe. Vitor. O Documento deve ser publicado até o final de maio.

No vídeo,  Pe. Vítor apresenta detalhes sobre o texto aprovado na última assembleia dos bispos:

 

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*