padre rafaelNatural de Palhoça, Pe. Rafael Aléx Lima da Silva foi ordenado presbítero em 22 de maio de 2005. No mesmo ano, foi um dos formadores no Seminário Nossa Senhora de Lourdes e vigário do Santuário, em Azambuja.  Em 2006 trabalhou como vigário da Paróquia São Joaquim, em Garopaba, e no ano seguinte, mudou-se para Roma para fazer doutorado em Liturgia. Após oito anos de estudos, o sacerdote retorna agora para a Arquidiocese de Florianópolis como administrador paroquial da Paróquia São Judas Tadeu, em Barreiros, São José e professor da Faculdade Católica de Santa Catarina (FACASC)

Confira como foi sua experiência de estudos e a expectativa para este recomeçar na Arquidiocese:

Jornal da Arquidiocese – Onde o senhor estudou na Itália? Conte-nos como foi a experiência lá?

Padre Rafael Aléx da Silva – Fiz o mestrado em liturgia no Pontifício Ateneu Santo Anselmo, em Roma, uma instituição mantida pelos monges beneditinos. Tendo depois a confirmação da bolsa de estudo, então foi possível dar continuidade com o doutorado, na mesma instituição. Além dos estudos, desenvolvi também trabalho pastoral. Foram praticamente oito anos como vigário paróquial na mesma paróquia, em uma diocese vizinha a Roma.

JA – De que forma estes novos conhecimentos ajudarão na liturgia da Arquidiocese ou mesmo nas aulas como professor da FACASC?

Padre Rafael – Precisamos construir um discurso teológico a partir da liturgia. Nós ainda somos muito acostumados na missa parte por parte. E aí cai muito facilmente no pode ou não pode. Não temos tantas produções nossas e traduções que marcam o pensar litúrgico. Espero contribuir com isso.

JA – Qual a expectativa para este novo tempo em sua vida, como administrador da Paróquia em São José e professor de liturgia na FACASC?

Padre Rafael – Como administrador é uma experiência nova, nunca trabalhei nesta área. Espero caminhar junto com a comunidade. Como professor desejo ajudar neste crescimento no discurso teológico-litúrgico para os futuros padres e os leigos.

 

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*