O método que será citado nesta edição nasceu no século XII com o monge Guigo, que sistematizou em quatro passos a Lectio Divina.

“Lectio Divina é um exercício de escuta pessoal da Palavra de Deus. Funciona como uma escada de quatro degraus espirituais: leitura, meditação, oração e contemplação. ‘Buscai na leitura e encontrareis na meditação; batei pela oração e encontrareis pela contemplação’” (Monge Guido II, Idade média). Em alguns lugares se acrescenta um quinto passo: a ação.

Todo mês você tem um exemplo concreto da Lectio Divina na página 8 do Jornal da Arquidiocese, na coluna do Pe. Paulo Stippe Schmitt. A coluna também é disponível no site da Arquidiocese (clique aqui para acessar).

Os passos são:

1) Leitura: O que fala o texto? É necessário estar atento aos detalhes: o ambiente, o desenrolar dos acontecimentos, os personagens, os diálogos, as palavras e trechos que chamam mais atenção.

2) Meditação: O que diz o texto de forma pessoal para mim? Na meditação se confronta a passagem com a própria vida, por meio do Espírito Santo.

3) Oração: O que o texto me faz responder a Deus? A oração nasce como fruto da meditação. Os sentimentos O que diz o texto de forma pessoal para mim? Na meditação se confronta a passagem com a própria vida, por meio do Espírito Santo.

4) Contemplação: O que a Palavra faz em mim? É permitir a ação de Deus que recebe a sua oração e a leva ao seu coração.

5) Ação: O que a Palavra me pede para fazer? Através de gestos concretos, vai-se conformando à vida à vontade de Deus.


Texto publicado na edição de setembro de 2019 do Jornal da Arquidiocese, páginas 6 e 7.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*