Missa será celebrada na próxima terça-feira, 16 de julho, às 19h, na Igreja Matriz São Luís Gonzaga; a comemoração litúrgica será dia 20, às 19h, na capela de Santa Luzia

Natural de Brusque, o Pe. Marcial Maçaneiro SCJ já está na cidade para celebrar os 25 anos de Ordenação Sacerdotal. Na próxima terça-feira, 16 de julho, quando também comemora 52 anos de vida, padre Marcial presidirá a missa das 19h na Igreja Matriz São Luís Gonzaga. Mas a celebração litúrgica será no sábado, 20, com a Eucaristia às 19h, no bairro Santa Luzia, seguida por um jantar por adesão.

Esta é uma das poucas oportunidades que familiares e amigos da cidade e da região tem de encontrar o religioso que, a partir de fevereiro de 2020, inicia seu pós-doutorado em Lisboa e Roma, como docente da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, onde atua há cinco anos. O pós-doutorado resulta de uma parceria entre a Universidade Católica Portuguesa (Lisboa) e os Arquivos Vaticanos (Roma). Nesta pesquisa, Pe. Marcial terá a oportunidade de consultar os arquivos secretos da Santa Sé, abertos recentemente pelo Papa Francisco, como pesquisador credenciado. O pós-doutorado inclui a docência na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, e a publicação dos resultados da pesquisa.

No mesmo período, Pe. Marcial continuará suas atividades como teólogo do Pontifício Conselho para Unidade dos Cristãos, uma instância do Vaticano que promove o diálogo ecumênico mundial. “Iniciei este trabalho em 2010, com o Papa Bento XVI, e continuo com o Papa Francisco. Desde então, cumpri uma agenda de diálogo ecumênico em vários países, como Finlândia, Estados Unidos, Itália, Colômbia, Guatemala e Gana (este, na África). Nos últimos três anos concentrei assessorias à Igreja na América Latina, com cursos e formações na Argentina, Peru, Chile e Guatemala. O serviço neste Pontifício Conselho inclui três funções: a primeira, estável, é como membro da Comissão de Diálogo Católico-Pentecostal; já a segunda e terceira funções acontecem ad hoc (provisórias ou sob demanda) como membro da delegação do Vaticano no Global Christian Forum (Forum Cristão Global) e na Pentecostal World Conference (Conferência Pentecostal Mundial)”, afirma padre Marcial.

Vocação

Pe. Marcial entrou para a Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (SCJ ou Dehonianos) em fevereiro de 1986, ao professar os votos religiosos no final do Noviciado, em Barra do Rio Cerro (Jaraguá do Sul). Em seguida cursou os estudos filosóficos em Brusque, até 1989. E apesar do chamado à missão na Igreja como dehoniano, a decisão pela ordenação presbiteral veio apenas em 1993, quando já era religioso e teólogo por formação. Na época ele também já atuava como assessor, escritor e palestrante; lecionou teologia no Instituto Marista de Ciências Humanas e foi diretor do Instituto de Pastoral Juvenil / Regional Leste 2, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Belo Horizonte. Nesta cidade foi ordenado diácono em 1993, com estágio pastoral em preparação da ordenação presbiteral um ano após, na sua terra natal. “Escolhi ser ordenado padre em Brusque porque aqui iniciou a minha história e é onde está a minha família. Brusque também é um centro expressivo de presença dehoniana no Brasil e, em 1994, o bispo da Arquidiocese de Florianópolis era um dehoniano – hoje Cardeal Dom Eusébio Oscar Scheidt, SCJ”, recorda padre Marcial.

À época, já com uma agenda bastante comprometida entre trabalho, estudo e viagens internacionais, o religioso escolheu o período de férias para a ordenação, que também coincidiu com o seu dia de aniversário: 16 de julho de 1994.

No período de 1996 até 2001, Pe. Marcial concluiu os estudos de Mestrado e Doutorado em Teologia. O primeiro na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE, Belo Horizonte) e o segundo, na Pontifícia Universidade Gregoriana, na Itália. Neste mesmo período foi capelão do Voluntariado ALBA, um projeto humanitário na Itália e África, com sede em Roma, e também colaborador das mídias do Vaticano, com ênfase em rádio e televisão, nas atividades do Grande Jubileu do Ano 2000, uma celebração preparada pelo Papa João Paulo II no triênio 1997-1999.

Após defender o Doutorado em 2001, Pe. Marcial iniciou a docência de Teologia em Taubaté, onde, ao lado dos padres João Carlos Almeida (Brusque) e Moacir Pedrini (Botuverá), trabalhou no processo de consolidação da Faculdade Dehoniana – antes Instituto Teológico SCJ – quando o Curso de Teologia passou a ser reconhecido pelo Estado. Neste mesmo tempo, até 2008, padre Marcial prestou assessoria para a Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB). Já entre 2006 e 2009 foi assessor ecumênico da CNBB e preparou a visita do Papa Bento XVI ao país, em 2007. Resultado deste percurso são suas muitas publicações, de livros a artigos teológicos no Brasil e exterior, como “O labirinto sagrado” (Paulus), “Religiões e Ecologia” (Paulinas) e o “Dicionário do Vaticano II” (Loyola-Paulinas) com outros autores.

Internacional

Em 2010, padre Marcial foi designado teólogo do Pontifício Conselho para Unidade dos Cristãos, missão que exerce até hoje. No ano seguinte recebeu o convite para ser professor da Pós-Graduação em Teologia da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP) e, em 2014, o mesmo chamado o levou à Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR), onde permanece até hoje. Na PUC do Paraná, ele é também consultor teológico do Instituto Ciência e Fé, que promove o Átrio dos Gentios no Brasil, um grande encontro acadêmico, artístico e cultural entre crentes e não-crentes, em parceria com o Pontifício Conselho para a Cultura, do Vaticano. Ainda na PUC/PR, padre Marcial é o Editor-chefe da revista teológica internacional Pistis&Praxis – atribuição que deixará de exercer no final deste ano, quando partirá para Portugal e Itália com o desafio do pós-doutorado.

Como ele destaca, o pós-doutorado faz parte do programa de qualificação e internacionalização da PUC do Paraná. “Tenho sido convidado para o programa de formação do Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM), na Colômbia, e preparo-me para ser professor em intercâmbio com a Universidade Laval, em Quebec, no Canadá. Já o curso que devo ministrar na Universidade Católica Portuguesa, em Lisboa, é um quesito do projeto de pós-doutorado”, detalha.

Na Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, padre Marcial já foi membro da Comissão Teológica SCJ Internacional, na sua primeira composição, juntamente com o Pe. João Carlos Almeida. Recentemente, deixou a docência na Graduação para dedicar-se com mais qualidade às assessorias e atividades no exterior, visando ainda organizar sua colaboração nos projetos da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus: “Terei melhores condições de ajudar nos cursos de Especialização que as nossas faculdades oferecem”, diz ele, reforçando o reconhecimento e a gratidão por tudo o que recebeu e partilhou com os padres do Coração de Jesus, sua segunda família.

Por Ideia Comunicação

1 Comentários, RSS

  • Maria da silva Macaneiro

    diz em:
    16 de julho de 2019 às 01:43

    Gostaria de conhecer Padre Marciel!!

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*