unnamed-1O Movimento surgiu oficialmente em Balneário Camboriú no ano de 1996.

Em Balneário Camboriú, a então secretária da Paróquia São Sebastião, bairro Ariribá, Eliane Peixoto, possuía uma capelinha da Mãe Peregrina que trouxe de Santa Maria (RS), pois era devota e conhecia o movimento. E viu que o Frei Anselmo, responsável pela igreja, era devoto dela e também tinha uma capelinha. Assim, resolveram rezar o terço na igreja com a imagem.

A Eliane entrou em contato com a Irmã Raquel e pediu mais capelinhas, que foram entregues para Catarina Marquez e Inês Koch. Estas se tornaram, então, as zeladoras (pessoas responsáveis em cuidar da imagem nas casas das famílias). Assim, no dia 05 de maio de 1996, teve início o Movimento da Mãe Peregrina, em Balneário Camboriú. E com a Mãe na frente tudo dá certo, as pessoas foram criando interesse em participar como zeladoras, e surgiram outras responsáveis, como Inês, Catarina, Amabile, Maria Giacomozzi, Maria Lima, Zélia, Terezinha Scariat, Olívia, entre outras.

Todo dia 18 de cada mês celebra-se a “Aliança de Amor”, assim como o Pe. José Kentenich desejou junto com os jovens. E seguindo essa tradição, o pároco, Pe. Pedro Daboit, preside nesta data, uma Missa com o auxilio das missionárias e a presença de todas as capelinhas e famílias que participam dessa peregrinação de Maria.

unnamed-2A Eliane, então coordenadora do movimento em Balneário Camboriú, foi embora para a Espanha e passou a função para Rosa Lopez Bessani, que ficou de 1996 a 2014. Aumentou o volume de zeladoras que passaram a se chamar “Missionárias da Mãe Peregrina”.

A partir de dezembro de 2014, Inês Koch e Denize dos Santos ficaram sendo as coordenadoras.

É um movimento que a cada dia faz ultrapassar fronteiras, onde famílias que não conheciam seus vizinhos, hoje se conhecem através das capelinhas que passam de casa em casa.

Histórico do Movimento

O Movimento Mãe Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável de Schoenstatt, surgiu na Alemanha no ano de 1914, em Schoenstatt (que quer dizer Belo Lugar), com o Padre José Kentenich e um grupo de jovens. E se espalhou pelo mundo inteiro, chegando ao Brasil, em Santa Maria (RS), no ano de 1950, através da Irmã Maria Terezinha Gobbo, que incumbiu o Diácono João Luiz Pozzobon de levar uma imagem da Mãe Peregrina às famílias e rezar o terço, o qual aceitou prontamente. E assim começou a grande Campanha da Mãe Peregrina.

No dia primeiro de fevereiro de 1959, João Pozzobon introduziu as pequenas imagens da Mãe Peregrina de Schoenstatt para visitar mensalmente as famílias.

Por: Denize dos Santos

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*