Família Müller com os padres celebrantes.

Família Müller com os padres celebrantes.

No dia 10 de julho, ocorreu a Missa no Santuário de Azambuja, Brusque, em ação de graças pelo trabalho missionário do Pe. Osmar Pedro Muller, concelebrada pelos padres, José Jacob Archer (Calçoene/AM) e Valdir Stahelin, de Biguaçu. O evento comemora os 60 anos de ordenação e 30 anos de falecimento do padre Osmar.

Na ocasião, durante o lançamento do livro “A formação da JOC de Brusque: missões do padre Osmar Müller”, Pe. Valdir Stahelin leu o seguinte depoimento:

Mensagem

Padre Osmar Pedro Müller

Na data em que comemoramos os 60 anos de sacerdócio e 30 de falecimento do Pe. Osmar Pedro Müller, acho que posso afirmar sem medo de errar que este padre, mesmo antes de Puebla, assumiu e foi radical na “opção preferencial pelos pobre”. Ninguém até hoje nesta Arquidiocese foi tão radical a ponto de ser incompreendido por muitos, não por Deus…

Nascido em Itajaí e criado em Brusque, numa cidade farta de comida e bebida, cedo teve a intuição de que o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo (Rm 14,17). Foi um homem que amou a justiça e lutou por sua implantação, convicto de que o efeito da justiça será a paz (Is 32,17).

Ele se fez pobre com os pobres, formando lideranças, ensinando estes pobres a se libertarem. E foi um homem alegre, um grande homem. Viveu uma “pastoral de saída” de que tanto o Papa Francisco propaga atualmente.

Apesar de todas as lutas e sofrimentos, Pe. Osmar foi um padre feliz porque “amou a justiça e odiou a iniquidade” (Hb 1,9).

Santuário de Azambuja – Brusque

10/07/2016

Pe.Valdir Staehelin

Por: Aloisius C Lauth

 

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*