Em 1960 foi criada a Ação Social Arquidiocesana (ASA), na Arquidiocese de Florianópolis, pelo então arcebispo Dom Afonso Niehues. Para marcar as comemorações deste ano festivo, nesta terça-feira, 17 de novembro, uma missa em ação de graças foi celebrada pouco antes da entrega da sétima edição do Prêmio de Iniciativa Solidária Dom Afonso Nienhus, na Catedral Metropolitana, na capital.

Em virtude das medidas de combate à pandemia de Covid-19, tanto a missa quanto a premiação foram transmitidas pela internet, especialmente no momento da premiação quando estiveram presentes apenas representantes de entidades que concorriam ao prêmio.

Missa

A celebração eucarística foi presidida pelo Vigário Geral da Arquidiocese, Pe. Vitor Galdino Feller, que representava o arcebispo. A missa contou com presença dos membros da diretoria, da equipe executiva da ASA, entidades que concorriam ao prêmio, padres, diáconos e conselho gestor do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade (FAS).

Na homilia, Pe. Vitor falou sobre a história e o sentido da ASA: “ fomentar as ações sociais paroquiais, atuar em políticas públicas, em conselhos comunitários de direitos”. O Vigário Geral ainda destacou a importância como expressão da caridade na Igreja Arquidiocesana, uma “caridade evangélica, caridade eclesial, que se torna uma caridade social”. “A ASA é o rosto público, o rosto social da Igreja em Florianópolis”, finalizou.

Prêmio Dom Afonso Niehues

Na continuação da noite, aconteceu a entrega da sétima edição do Prêmio de Iniciativa Solidária Dom Afonso Niehues, que reconheceu iniciativas ativas durante a pandemia do novo coronavírus.

Na categoria Ação Social Paroquial, a iniciativa solidária “Drive Thru do Bem”, da Ação Social Paroquial São Luís Gonzaga, de Brusque, levou o troféu. Com a iniciativa solidária Alimentando Famílias, a Fundação Fé e Alegria do Brasil, da cidade de Palhoça, foi a vencedora na categoria Entidade Social. Além do troféu e reconhecimento, cada entidade premiada recebeu o valor de R$7 mil.

O vigário da Paróquia São Luís Gonzaga, Pe Diego Martins, detalha a importância do trabalho que a Ação Social da paróquia têm feito nas quatro edições do “Drive Thru do Bem”, em que já foram arrecadadas cerca de 15 toneladas em doações. “O trabalho da Ação Social sempre foi grande e com a pandemia cresceu o número dos necessitados, então pensamos nesse ‘drive thru’. As pessoas vinham até a paróquia e deixavam suas doações, sem sair do carro, sem contato com ninguém”, explica Pe. Diego.

A assistente social da Ação Social São Luís Gonzaga, Patrícia Antoinetti, salienta que o recurso será aplicado na própria ação social. “Além da distribuição de alimento e material de higiene e limpeza, auxiliamos na dimensão psicológica, familiar, encaminhamentos para emprego, abordamos todos os aspectos da pessoa e tentamos ajudar”, afirma.

A premiação acontece com recursos do Fundo Arquidiocesano de Solidariedade (FAS), através da Coleta da Solidariedade que acontece anualmente. Pe. Tarcísio Pedro Vieira, ecônomo da Arquidiocese, destaca que a partilha é própria do Evangelho e assim como é partilhado anualmente com a coleta, o fundo partilha com as entidades desse recurso arrecado. “Além dos projetos apoiados anualmente, realizamos o prêmio Dom Afonso Niehues, bem como o reconhecimento de outras entidades. Certamente que o prêmio ainda não é dá o valor ideal, mas ele significa muito para as entidades que o recebem”, pontua Pe. Tarcísio.

Um olhar para o futuro
Presidente da ASA, o Diácono Luiz Paulo Campos comenta que essas seis décadas de história da instituição são marcadas por uma trajetória de crescimento, aprendizado e serviço junto do povo de Deus. “Nós somos a ‘CÁRITAS’ da Arquidiocese de Florianópolis e, como tal, procuramos servir, amar e ser presença de Cristo nesta terra dedicada a Santa Catarina de Alexandria, ao longo destes 60 anos”.

“No futuro próximo ou distante, em nome da Igreja Arquidiocesana de Florianópolis, a ASA tem por objetivo e compromisso continuar a cumprir sua missão de serviço aos nossos irmãos mais necessitados, a partir do trabalho em rede, através do qual poderá potencializar e qualificar suas atividades com o intuito de promover a defesa dos direitos e políticas sociais em vista de uma sociedade mais ética, fraterna e justa”, finaliza o presidente.

Texto e fotos: André Kinal/ASA Floripa
Vídeo: Assessoria de Comunicação/ArquiFloripa

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*