Cerca de 200 jovens de Governador Celso Ramos participaram do encontro Cristo Vive, realizado pela Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes no último domingo, dia 8 de setembro, na Igreja Matriz, em Ganchos do Meio.

O evento contou com momentos de pregação, adoração ao Santíssimo, Missa e procissão luminosa. “Tudo estava muito bonito e bem preparado. De fato foi uma expressão forte e bela da juventude católica de Governador Celso Ramos. Parabéns a todos os envolvidos!”, exalta Pe. Philipe Valdenô Damazo, um dos convidados a falar aos jovens.

O seminarista da Arquidiocese de Florianópolis, Joel José Schvambach, também se emocionou com o que viu: “Jovens sedentos, impulsionados pelo mover do Espírito Santo, anunciando que Cristo Vive, que Ele é a razão da sua alegria, que é o fundamento de sua fé, que é o Cristo que anunciam e testemunham, que é essa a Igreja que amam e que querem edificar como verdadeiras pedras vivas!”.

A jovem Beatriz Filisbino, do Grupo de Oração Jovem Ruah, não conteve a felicidade ao chegar na igreja e se deparar com jovens tão alegres. “E ao decorrer do encontro, essa alegria e entrega foi aumentando de tal forma que nos dava uma esperança; a esperança de termos uma Igreja renovada! E o ápice de todo o encontro foi o momento de adoração, onde o Senhor manifestou o Seu imensurável amor por cada um que estava lá presente!”, completa.

“Antes de eu chegar no encontro Cristo Vive, estava sentindo um frio na barriga, uma sensação estranha, mas eu já sabia que ia ser maravilhoso e libertador. Pois bem, não me arrependi, como eu imaginava, foi perfeito passar a tarde na presença de Deus. O Espírito Santo tocou muito forte em meu coração e não tive como não me entregar. Eu só queria que todos os jovens pudessem sentir o que nós sentimos nessa tarde”, testemunha João Passos, do Grupo de Oração Jovem Yeshua.

A jovem Lara Inácio estava há muitos anos sem ir à Igreja, até que foi convidada para o Cristo Jovem. “Fui convencida a ir ao encontro de jovens e tinha muito tempo que uma tarde de domingo não era tão legal. No começo eu estava meio perdida, mas logo já me senti bem, principalmente pela acolhida do grupo Yeshua, que sabem acolher alguém como ninguém. Cantei, dancei, rezei e senti uma paz imensa”, partilha Lara.



Com informações de Cleiton Rodrigues Imamura.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*