Já foram atendidas 5.297 pessoas de 57 nacionalidades realizando 8.174 procedimentos

A Ação Social Arquidiocesana (ASA) em 2018 celebrou um convênio  junto à Secretaria de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação, para a criação e execução do Centro de Referência de Atendimento ao Imigrante. Em fevereiro, do mesmo ano foi inaugurado o CRAI, que atua na área de integração, proteção, assistência social e psicológica, com o intuito de ser referência em todo o Estado no que diz respeito aos encaminhamentos nos temas da imigração e do refúgio. Ele é o primeiro Centro de Referência de Atendimento ao Imigrante de Santa Catarina e o terceiro do Brasil.

Oferece orientações sobre documentos, mercado de trabalho, profissionalização, orientação e encaminhamento às redes de atenção e cuidado e atendimento psicossocial a imigrantes e refugiados. A atuação do CRAI se dá da seguinte forma:

– Integração: Aprendizado do idioma, Geração de renda e acesso à educação.

Integração: Regularização de documentos, Orientação jurídica

– Assistência Social e Psicológica: O CRAI trabalha em parceria com redes colaboradoras, que são instituições do Estado de Santa Catarina que ajudam imigrantes e refugiados a garantirem acesso à informação e aos seus direitos e oportunidades. Atualmente fazem parte desta rede: GAIRF – Grupo de Apoio a Imigrantes e Refugiados de Florianópolis e Região; GTI – Grupo de Trabalho de Apoio a Imigrantes e Refugiados; NEMPsic – Clínica Intercultural e Eirenè UFSC / Cátedra Sérgio Vieira de Mello, Cáritas Brasileira Regional SC, Pastoral do Migrante.

Passaram 5.297 migrantes pelo CRAI de 57 nacionalidades realizando 8.174 procedimentos de atendimento. Neste primeiro ano de atendimento o CRAI buscou parceiros para desenvolver sua missão junto ao publico alvo. A inserção no mercado de trabalho é uma das etapas mais importantes do processo de integração do imigrante com esta visão começou estabelecer parcerias com empresas.

O Peixe Urbano primeira parceira que ofertou vagas de emprego a imigrantes e refugiados através do CRAI. Para ampliar as oportunidades de oportunidades de orientação profissional, capacitação e inserção no mercado de trabalho para os imigrantes atendidos fez parceria com o IGEOF – Instituto de Geração de Oportunidades de Florianópolis que oferece oficinas mensais profissionalizantes com diferentes temáticas; Grupo quinzenal de informação sobre o mercado de trabalho;  Envios frequentes de currículos de imigrantes para vagas de empregos recebidas através do “Balcão Emprega Floripa”.  Com o IGEOF também concretizou a realização da  Feira Gastronômica dos Imigrantes que abre todas as quintas-feiras no centro de Florianópolis. A Faculdade SENAC ofereceu 70 vagas, em três cursos, para migrantes atendidos pelo CRAI e no decorrer do ano sinalizou a possibilidade de aumentar as vagas para diferentes cursos.

Outra iniciativa foi a criação de cursos de Português voltado para os migrantes ministrados pelos voluntários (as) do CRAI. Na área da formação também realizou o curso para as mães haitianas para aprender português com ajuda de cuidadoras para os filhos, em parceria com Centro de Comunicação e Expressão (CCE) da UFSC, onde também recebem lanche e todo o material necessário para estudar. No estudo da língua portuguesa também tiveram outras iniciativas realizadas pelos voluntários (as) do CRAI.

No campo da integração neste primeiro ano também foram realizadas várias ações no campo jurídico e na regularização de documentação dos migrantes da grande maioria dos atendidos. Uma das maiores dificuldades daqueles que chegam ao Brasil é comprovar a formação obtida no país de origem em busca de vagas de emprego e melhores condições. Muitos nem sabem que podem validar seus diplomas e certificados e acabam prejudicados. Para auxiliar este processo o CRAI estabeleceu um canal de informações com Secretaria Estadual da Educação do Estado com o objetivo de melhorar a informação sobre a validação de diplomas de ensino de imigrantes e refugiados de Florianópolis e Santa Catarina.

Através do campo Assistência Social e Psicológica o CRAI realizou muitas ações psicossociais sempre tendo em vista o migrante que procura o órgão. Apoiou e participou da 3ª Roda de Conversa com o tema Migração, Direitos Humanos e Políticas Públicas que ocorreu em Chapecó, na Unidade Bom Pastor da Universidade Federal da Fronteira Sul. Promoveu dois encontros do Grupo de Informações sobre Trabalho que tem como objetivo fornecer um espaço de escuta sobre a busca por trabalho, uma necessidade unânime entre os imigrantes atendidos.

Além disso, informações sobre as leis trabalhistas no Brasil e os direitos do trabalhador são repassadas ao grupo. A equipe de Psicologia do CRAI participou da Semana de Psicologia da Faculdade Estácio de Sá de São José, em um debate com os universitários do curso. Na ocasião, falaram sobre o serviço de psicologia do CRAI e os efeitos psicossociais dos movimentos migratórios, discussão essencial na formação de novos profissionais da área. Promoveu em Itapema para imigrantes e refugiados de diferentes nacionalidades, o curso de formação em Políticas Públicas: Dilemas e desafios no atendimento a imigrantes e refugiados. A formação teve a participação de organizações da sociedade civil, como a Pastoral do Migrante – Itajaí, Associações de Haitianos dos municípios de Itapema, Itajaí e Porto, Conselho Municipal de Assistência Social de Balneário Camboriú e a Defensoria Pública de SC. Também participou de várias reuniões com Associações de Migrantes de Santa Catarina no intuito de auxiliá-las em suas necessidades. Participou da Audiência de Políticas Públicas para Imigração, promovida pela Comissão dos Direitos Humanos da Assembleia Legislativa trouxe organizações da sociedade civil e do estado para debater ações concretas que visem dar melhores condições aos imigrantes que buscam em Santa Catarina reconstruir suas vidas. Esteve presente no Seminário Internacional de Migrações e Refúgio, em Brasília, com três membros da equipe e dois haitianos da Associação de Itapema.

Ainda no atendimento psicossocial trabalha em rede com o CRAS – Centro de Referência de Assistência Social, nesta parceria realiza o cadastro para concessão de benefícios, acompanhamento profissional, informações sobre benefícios, grupos de apoios, entre outros. Busca nos diversos serviços básicos  de atendimento oferecidos pelo órgão encaminhar as demandas e ser ponte para que os migrantes possam ser integrados nesta rede.

Promoveu o pedal humanitário em parceria com Ministério Público Federal que teve a participação de 127 ciclistas em prol dos refugiados e imigrantes de Santa Catarina. A rota de bikes saiu da frente do Ministério Público Federal, na Beira Mar Norte, até o Parque de Coqueiros, no continente. Imigrantes da Venezuela, Senegal, Haiti, Colômbia e Marrocos venderam comidas típicas de seus países no parque. Além disso, todos os participantes doaram uma lata de leite em pó ou um pacote de fraldas infantis. No mês de novembro realizou uma ação beneficente que  atingiu 60 famílias de migrantes.

Para o coordenador do CRAI, Luciano Leite, “contemplar estas e outras realizações de 2018 gera muito alegria para ASA que está a frente do projeto não medindo esforços para que o migrante seja atendido e acolhido da melhor forma possível.” Para ele e toda equipe os resultados da missão do CRAI não se mede pelas ações realizadas. Ao receber o retorno dos nossos usuários percebemos quão importante é nosso trabalho, declara.

Muitos foram os testemunhos relatados pelos migrantes atendidos. Destacamos dois que  são exemplos  do fruto das parcerias realizadas pelo CRAI.

A haitiana, Roseana Harte, 32 anos, tem dois filhos e sonha com um futuro melhor para eles. Encaminhada pelo CRAI para um curso de capacitação ela esta trabalhando há seis meses. Disse que está muito feliz pois, começa a perceber os frutos de mudança na família com a renda do trabalho.

Para José Ribas, 47 anos, Venezuelano, veio para o Brasil com a esposa e três filhos. Em seu país trabalhava com hotelaria. Ao chegar em Florianópolis logo a família encontrou colocação no mercado de trabalho. Ele não conseguiu. Encaminhado pelo CRAI para curso de Hotelaria do SENAC, disse estar confiante e capacitado para logo após a capacitação ingressar no mercado de trabalho.

Em 2019 o CRAI almeja seguir com as parcerias e atividades existentes e buscar novos parceiros (as) para atender o migrante sempre melhor.

SERVIÇO: CRAI celebra um ano de Atendimento aos Migrantes

Atendeu 5.297 pessoas de 57 nacionalidades realizando 8.174 procedimentos
Data: 01/02/2019
E-mail: [email protected]

Por Olga Oliveira
Assessora de Imprensa
Ação Social Arquidiocesana

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*