Um pequeno vírus tem causado grandes impactos nos últimos tempos. No começo, parecia algo distante. Mas ele chegou sorrateiramente até bem perto de nós. Além de muitas outras crises, a Covid-19 evidenciou uma crise econômica e social que atinge várias pessoas de nossas comunidades. Diante do desafio imposto para muitas famílias carentes que buscaram a paróquia por conta do isolamento social, outro contágio surgiu ainda mais forte: da solidariedade.       

A Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem, em Florianópolis, que abrange os bairros Caiera, Saco dos Limões, Morro do Limoeiro, Costeira do Pirajubaé, Seta, Cachoeira do Rio Tavares, Ressacada e Carianos, inúmeras vezes viu, sentiu compaixão e cuidou daqueles que são mais necessitados (cf. Lc 10,33-34). Várias pastorais e atividades se dedicam pela causa desses, sobretudo por meio da Ação Social e das pastorais da Criança e da Pessoa Idosa. Com o agravamento da situação social, muitos começaram a procurar a casa da líder da Pastoral da Pessoa Idosa, em busca de ajuda.  A situação dos mais vulneráveis interpelou diversas pessoas a arregaçarem as mangas, ajustar a máscara, passar o álcool em gel e buscar meios para ajudar os que mais precisam. Mas, de onde vem ajuda?

A ajuda vem de muitos lugares. O contágio da solidariedade, diferente do vírus da Covid-19, mesmo à longa distância, alcança muita gente. Corre o risco de ser atingido mais facilmente, quem está com o coração aberto. Além do povo bom e generoso das oito comunidades da própria paróquia, brotam demonstrações de cuidado e as doações vão chegando. Muitos dizem preferir doar à Igreja devido à credibilidade que tem pelas ações de atendimento aos mais carentes. Desde uma quantidade expressiva de cestas básicas até um sabão caseiro partilhado, tudo é graça! É Deus cuidando dos seus!

Até o Domingo de Pentecostes, 31 de maio, foram distribuídas aproximadamente 1250 cestas básicas, 500 dúzias de ovos, 230 marmitas, 1000 pães, 30 bolos e cucas, entre outros itens. São mais de 20 toneladas de alimentos entregues aos necessitados. Além de alimentos, foram doadas centenas de peças de roupas, 18 kits de enxoval para bebê, 150 cobertores e 280 fraldas geriátricas. Geralmente, as cestas básicas eram acompanhadas de produtos de higiene pessoal e de limpeza. E não é arriscada a entrega desses itens?

Uma equipe, com cerca de dez membros permanentes e outros tantos esporádicos, organiza a estratégia através de reunião virtual e liga para cada uma das famílias que virão buscar a doação, com hora e data marcadas. As entregas são realizadas em espaços amplos e arejados, como na Associação de Moradores da Costeira do Pirajubaé (AMOCOP) e no salão da Comunidade Santa Rita Cássia, no Carianos. Usando máscaras e mantendo a distância necessária, cada um recebe sua cesta, após se identificar com o documento. Contudo, são vários os casos nos quais a família, impossibilitada de buscar, recebe em casa os suprimentos por meio dos voluntários da equipe.    

No entanto, não é só o alimento que essa equipe oferece. O zelo e atenção também estão expressos em cada uma das mais de 1100 máscaras confeccionadas e doadas, tanto para o território paroquial quanto para fora dele. Além disso, 30 jalecos foram disponibilizados para enfermeiros do interior de Santa Catarina. É sinal de uma Igreja em saída, mesmo em tempos onde a orientação é para ficar em casa.

As crianças também receberam uma atenção especial. Além das máscaras preparadas especialmente para os pequenos, na Páscoa elas receberam chocolate nos portões de suas casas. Vale lembrar que, geralmente, as cestas básicas contêm biscoitos e doces.

Os detalhes são grandes diferenciais do trabalho realizado por essa equipe tão aplicada que representa o zelo da paróquia do sul da ilha. Cada cesta básica é acompanhada da frase: “Não estás só, tudo vai passar”. E ainda, atendendo à campanha da Pastoral da Pessoa Idosa – “Ligue para uma pessoa idosa hoje!”, são realizadas centenas de contatos por telefone e por meio de vídeos. Celebrações, terços diários e outros eventos transmitidos pelas mídias sociais, encontros virtuais e um carro de som na rua com mensagem de encorajamento fazem com que os paroquianos se sintam mais próximos da Igreja. Muitos são os sofrimentos causados pelo isolamento social. Pequenos gestos de empatia, nesse contexto, acabam fazendo grande diferença.

Este tempo em que vivemos exige de cada um de nós uma resposta consciente, no entanto rápida, pois em meio à crise da pandemia, muitas pessoas precisam de nossa ajuda. Respondendo a estas urgências, a Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem e suas pastorais têm se esforçado em oferecer algum socorro a quem mais precisa. Junto com todo esse grupo movido pela caridade estão os frades e postulantes carmelitas, movidos pelo espírito do profeta Elias e munidos da força do Escapulário de Nossa Senhora do Carmo, incentivando e fomentando essas atividades.

A sabedoria cristã nos recorda que àquele que tem caridade no coração, sempre partilha algo. Este é o trabalho de toda a Igreja, chamada pelo Senhor a sempre ser servidora. Por isso, deixe-se contagiar pela solidariedade e ajude quem precisa perto de você! Ou também, entre em contato com a secretaria paroquial para fazer sua doação: (48) 3333-5016.

Por: Frei Edimar Fernando Moreira, Carmelita
Prior Conventual – Comunidade Estrela do Mar

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*