Divulgação

“Deus da vida, da justiça e do amor,… através desta Campanha da Fraternidade Ecumênica, ajuda-nos a testemunhar a beleza do diálogo como compromisso de amor, criando pontes que unem em vez de muros que separam e geram indiferença e ódio…” Assim rezamos com a oração da Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano de 2021 (CFE-2021).

A Campanha da Fraternidade (CF) é uma das maiores propostas de evangelização da Igreja Católica, coordenada pela CNBB, desde 1964. Ocorre durante a Quaresma, para unir em si as exigências da conversão, da oração, do jejum e da doação. Convoca os cristãos a uma maior participação nos sofrimentos de Cristo como possibilidade de auxílio aos pobres, em vista da grande celebração cristã: a Páscoa.

Nesses 57 anos de CF, aconteceram quatro CFE, isto é, campanhas ecumênicas, que envolvem Igrejas Cristãs presentes no Brasil, articuladas pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil – CONIC, que “é uma associação fraterna de Igrejas”. Neste ano, teremos a quinta CFE, com o tema: Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor, e a inspiração bíblica (lema): “Cristo é a nossa paz: do que estava dividido, fez uma unidade” (Ef 2,14a).

Com o objetivo de “convidar as comunidades de fé e pessoas de boa vontade a pensarem, avaliarem e identificarem caminhos para superar as polarizações e violências através do diálogo amoroso, testemunhando a unidade na diversidade”, a CFE propõe levar os cristãos a “redescobrir a força e a beleza do diálogo como caminho de relações; denunciar as diferentes violências praticadas e legitimadas indevidamente em nome de Jesus; comprometer-se com as causas que defendem a casa comum, denunciando a exploração e a destruição socioambiental; contribuir para superar as desigualdades; animar o engajamento em ações concretas de amor ao próximo; promover a conversão para a cultura do amor, superando a cultura do ódio; fortalecer a convivência ecumênica e inter-religiosa; estimular o diálogo e a convivência fraterna como experiências humanas irrenunciáveis, dentro de uma sociedade plural; compartilhar experiências concretas de diálogo e convívio fraterno.” (cf. Texto-base, n. 3).

Que a caminhada quaresmal e a CFE-2021 animem os cristãos e as pessoas de boa vontade à reflexão, à conscientização e ao protagonismo do diálogo que cuida, que constrói, que converte, que plenifica…

Artigo: Marcio Murilo – Comissão Arquidiocesana para o Diálogo Ecumênico e Inter-religioso (CADEIR)

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*