A partir deste ano, no quarto domingo de julho, próximo à festa dos Santos Joaquim e Ana, a Igreja é convidada a celebrar o Dia Mundial dos Avós e dos Idosos. A data foi instituída em janeiro desse ano pelo Papa Francisco e tem por objetivo recordar e celebrar o dom da velhice e daqueles que, antes de nós e para nós, guardam e transmitem a vida e a fé.

Confira alguns testemunhos trazidos na edição 280 do Jornal da Arquidiocese, publicado em julho de 2021.


Maria Ema Orsi Feller – Itajaí

Completando 90 anos neste mês de julho, Maria Ema Orsi Feller é uma avó muito orgulhosa da família que construiu ao longo de sua vida. É mãe de 12 filhos, avó de 20 netos e tem 13 bisnetos. Conversou conosco do jornal da arquidiocese e contou um pouco da sua história.

Dona Mariquinha, como é conhecida por amigos e familiares, além da frequencia dominical à missa, na Igreja Matriz de Cordeiros, em Itajaí, participou ativamente da Igreja por muitos anos, atuando no Movimento de Irmãos. Com 70 anos de idade, ficou viúva e passou a participar menos dessas atividades. Porém, quando indagada sobre a importância da pessoa idosa dentro da Igreja, Maria fala que “a pessoa idosa tem muito para acrescentar dentro da Igreja com experiência, disponibilidade e muito amor”.

O maior orgulho da Dona Maria é ter um filho padre, o vigário geral da Arquidiocese, Pe. Vitor Galdino Feller. Orgulha-se também de que nenhum dos filhos e netos casados estão separados e que todos são pessoas boas. Em sua simplicidade ela conta que se sente muito amada por toda a família e fica muito feliz em ver que todo o trabalho e dificuldades enfrentados ao longo da vida valeram a pena para construir esta família.

Este Dia Mundial dos Avós e dos Idosos vem mostrar a importância da pessoa idosa dentro da Igreja como membro ativo e participante, com muito a contribuir para a construção do reino de Deus.


Vera e Valderi Ferreira – São José

O casal Vera Lucia Ferreira, 64 anos, e Valderi Ferreira, 63 anos, estão casados há 43 anos. Juntos participam da Paróquia São José que fica no centro histórico, na cidade que de mesmo nome. Em suas atividades dentro da Igreja fazem parte do Movimento de Irmãos, do grupo de música, e são voluntários da Festa do Divino Espírito Santo. Construíram uma família com três filhos e quatro netos, todos envolvidos com a comunidade. O casal acredita que o mais importante é servir a Deus com amor e ser um bom exemplo para a família.

O casal considera uma dádiva divina serem avós, ainda mais quando se participa da criação e educação das crianças, como é o caso de Vera e Valderi. Acreditam que trazem bons exemplos e muito amor. Dois de seus netos já participam de atividades na comunidade: um, como coroinha e outro, na coleta das celebrações.

Segundo Vera e Valderi, participar das atividades da Igreja é uma necessidade espiritual que trazem desde quando eram crianças e acompanhavam seus pais, se sentem felizes por estarem disponíveis para sua comunidade. Ainda afirmam que é muito importante a participação dos idosos na Igreja como exemplo para os mais jovens e para outros idosos também, que é bom servir com amor e alegria.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*