Retiro realizado em 2015 em BlumenauViúvos, separados e solteiros encontram no Movimento Comunidades Nossa Senhora da Esperança, um suporte para recomeçar

 

Há oito anos, a funcionária pública do Ministério da Saúde, Augusta Abreu Henn, 57, perdia o marido, Vilmar Henn, com 50 anos na época, vítima de meningite. “Tudo fazíamos em casal. Nós participávamos das Equipes de Nossa Senhora. Aí pensei: o que a Augusta vai fazer agora?”  Ela explica que como as equipes de Nossa Senhora tem uma linguagem voltada para o casal, encontrou no Movimento Comunidades Nossa Senhora da Esperança, algo que preencheu sua vida, agora sem o esposo.

Mãe de duas filhas e hoje avó, Augusta afirma que participar dos encontros mensais deste Movimento, é uma espécie de psicoterapia em grupo. “Eu tinha uma história ao lado de uma pessoa e agora, essa história precisa continuar, sem o outro na caminhada. Nas reuniões, pelos desabafos, partilhas, percebemos que nossa dor é menor do que a do outro. Nossa carga fica mais leve”, enfatizou a senhora Henn.

O Movimento nacional de apoio espiritual e religioso Comunidades Nossa Senhora da Esperança, veio para Santa Catarina há oito anos, por iniciativa do casal coordenador regional de Florianópolis e supra regional do Estado, Helenie de Lima Tavares e Sérgio Carneiro Tavares. É voltado para viúvos, separados e solteiros, homens e mulheres, de 40 a 80 anos, que se encontram mensalmente para momentos de meditação, leitura do Evangelho e confraternização.

Alegrias e tristezas são divididas. “Há uma troca de experiências. As pessoas percebem, pelas partilhas, pelos diferentes tipos de sofrimento, que a própria dor é infinitamente menor do que a do próximo”, explica Helenie Tavares.

Hoje existem dois grupos de apoio deste na Ilha, dois no Continente e um em São José. O Movimento também conta com grupos em Criciúma, Lages e este ano indo para Blumenau.

Para Helenie, estar neste trabalho voluntário de apoio aos viúvos, separados e solteiros, “gera a alegria de ser útil, saber que pude fazer alguma coisa por essas pessoas. Ver a mudança que ocorre em cada uma delas, após uma grande perda, isso deixa a gente feliz”.

Serviço

Se você deseja participar de um dos grupos de partilha do Movimento Comunidades Nossa Senhora, seguem os contatos:

– Coordenação regional

Helenie e Sérgio (48) 9989-3897

Matéria publicada na edição de  março de 2015, do Jornal da Arquidiocese, página 12

2 Comments, RSS

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*