Estudante do Marista Escola Social São José atuará durante um ano com parlamentares na Câmara da cidade

Parece brincadeira e diversão, mas em São José (SC) têm adolescentes assumindo papéis importantes dentro das decisões do município. Durante um ano, alguns estudantes da cidade terão uma nova responsabilidade: eles foram eleitos no Parlamento Jovem, da Câmara Municipal, por votação direta e vão atuar como representantes da população. Entre os eleitos, está o aluno Vittor Motta Gonçalves, de 16 anos, estudante do Ensino Médio do Marista Escola Social São José. 

Para ele, a participação no programa possibilita contribuir para os moradores do bairro e do município buscando solucionar alguns problemas históricos. “A expectativa é conhecer mais sobre os outros bairros que fazem parte de São José e aprender com os outros jovens. A diversidade de cada participante, cada um com sua história, sua personalidade e suas crenças, ajudará a conhecer novas maneiras de trabalhar melhor em grupo, de ajudar o próximo e de ouvir mais”, reforça. 

Participação efetiva e cidadã 

O Marista Escola Social São José está presente há 25 anos no Bairro Serraria, atendendo gratuitamente crianças e adolescentes de 6 a 17 anos. A escola desenvolve um processo educativo com foco na promoção e na defesa dos direitos e no empoderamento e no protagonismo jovem. “A participação em projetos que contribuem para a consciência cidadã fortalece a escola e a responsabilidade de incentivar os projetos de vida e a inserção em espaços de definição de políticas públicas”, reforça Danuzio Brandelero, diretor da Escola Social. 

Para o professor Etori Amorim, responsável pela disciplina Interioridades e Projeto de Vida na unidade, projetos como esse são atrativos aos jovens, porque permitem a possibilidade de intervenção e solução de problemas. “É uma oportunidade única de compreender como funciona o poder legislativo em seu município e exercitar sua cidadania. A médio e longo prazo pode estar sendo plantado, em seu Projeto de Vida, o sonho de contribuir com a sociedade através da representatividade parlamentar”.

A escola social propõe a aliança de objetivos entre as dimensões religiosa e civil. “Essa verdadeira teologização pedagógica marca a origem do que foi oferecido a diversos países aos quais se espalharam os Irmãos Maristas. Neste sentido, cumprimos nosso papel cristão e cível de formar bons cristãos e virtuosos cidadãos”, reforça Cleber de Oliveira Rodrigues, coordenador pedagógico do Ensino Médio.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*