Em “O Vídeo do Papa” do mês de novembro, Francisco ressalta a convivência entre as comunidades no Oriente Médio, pedindo a todos os católicos que rezem por um diálogo genuíno entre elas. Para o Santo Padre, a busca de unidade entre cristãos, judeus e muçulmanos “é baseada em laços espirituais e históricos”.

O termo “Oriente Próximo” (para europeus) ou “Oriente Médio” (para anglo-saxões) serve para nomear uma área geográfica a leste do Mediterrâneo. O Papa Francisco enfatiza que existem muitas comunidades cristãs, judaicas e muçulmanas “trabalhando pela paz, a reconciliação e o perdão”. Tendo em conta tal realidade, ele pede que a busca de diálogo e unidade dentro de cada uma dessas comunidades seja realizada sem temer as diferenças.

A delimitação exata do Oriente Médio não tem limites precisos. Segundo algumas fontes, essas terras geralmente incluem os países do Bahrein, Egito, Chipre, Irã, Iraque, Israel, Jordânia, Kuwait, Líbano, Omã, Catar, Arábia Saudita, Síria, Turquia, Emirados Árabes Unidos, Iêmen e Palestina. Segundo relatos recentes, os muçulmanos representam pouco mais de 93% da população da região. A comunidade cristã, por outro lado, representa aproximadamente 5%; e a judaica, que está concentrada principalmente em Israel, é de quase 2%.

Durante sua visita a Bari em julho de 2018, o Papa Francisco também mencionou a importância da reconciliação quando se dirigiu aos cristãos do Oriente Médio com as seguintes palavras: “A paz não virá graças às tréguas sustentadas por muros e testes de força, mas pela vontade real de ouvir e dialogar”.

O Pe. Frédéric Fornos, SJ, Diretor Internacional da Rede Mundial de Oração do Papa (que inclui o Movimento Eucarístico Jovem) reforça a mensagem do Santo Padre: “O Papa Francisco nos convida este mês a abrir nossos corações e orações ao Oriente Médio. Esta é a terra onde nasceram as três grandes religiões monoteístas: judaísmo, cristianismo e islamismo. É a terra de Abraão, Isaque e Jacó, a terra dos profetas, e onde Jesus Cristo nasceu de Maria. A Igreja nasceu lá. Desde a época de Jesus até hoje, os cristãos sempre estiveram presentes nessas terras. Este mês é a ocasião para nos interessarmos pela diversidade das tradições religiosas e culturais do Oriente Médio. Demonstrar interesse pelos homens e mulheres desta terra nos ajudará a rezar por eles. Também podemos lembrar e rezar com o “Documento sobre a fraternidade humana, pela paz mundial e pela vida comum”, assinado pelo Santo Padre e pelo Grande Imã de Al-Azhar, que declara assumir a cultura do diálogo como um caminho: ‘O diálogo entre os que creem significa encontrar-se no enorme espaço dos valores espirituais, humanos e sociais comuns e investir na difusão das mais altas virtudes morais, pedidas pelas religiões.

Ampliando nosso olhar para as terras de onde “chegou a boa-nova de Jesus”, o Vídeo do Papa pede que “no Oriente Médio nasça um espírito de diálogo, um espírito de encontro e reconciliação”.

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*