encontrofamiliasNa semana de 22 a 27 de setembro estivemos, Pe. Ney Brasil e eu, na Filadélfia, Estados Unidos, participando do 8º Encontro Mundial das Famílias. O tema “O amor é nossa missão: A família plenamente viva”, foi inspirado por um dos primeiros padres da Igreja, Santo Irineu, autor da obra: ‘A glória de Deus é o homem plenamente vivo”.

O evento acontece a cada três anos, com o objetivo de promover os valores das famílias para a sociedade. Foi o maior já realizado, com 20 mil participantes de mais de 100 países. As Missas diárias nos sustentavam e animavam com a Eucaristia que recebíamos e a do dia inicial nos marcou profundamente. Solene, com um coral belíssimo, teve uma procissão de entrada que durou 25 minutos, para acolher os 100 cardeais, arcebispos e bispos, e os cerca de 500 sacerdotes.

“A glória de homens e mulheres – escreveu Dom Charles Chaput, Arcebispo de Filadélfia, na carta de boas-vindas – é a capacidade de amar como Deus ama, e não há nada que ensine melhor o significado do amor do que a família”.

Dom Vincenzo Paglia exortou dizendo que “ler juntos o Evangelho em família é uma das mais bonitas e eficazes maneiras de orar. O Senhor gosta disso de uma maneira particular. (…) Temos necessidade de escutar. O primeiro passo da oração cristã é ouvir Jesus que nos fala. Você deve encontrar um tempo para estar juntos, talvez antes de uma refeição, ou no final do dia, ou até mesmo no início. Ou, em outros momentos. O que importa é a escolha de cinco minutos para rezar juntos de uma maneira breve, mas eficaz”.

Na carta que encaminhou previamente aos participantes do Encontro, Sua Santidade, o Papa Francisco, escreveu: “A missão da família cristã, tanto hoje como ontem, é proclamar ao mundo o amor de Deus pelo poder do sacramento do matrimônio. A partir dessa mesma proclamação, a família viva nasce e se constrói, com a calidez do amor no centro de sua dinâmica humana e espiritual. Uma família que, por graça do Senhor, vive em plenitude sua vocação e sua missão, glorifica o Senhor”.

No primeiro e no último dia tivemos uma grande conferência e 15 menores. Evidentemente, dessas menores só podíamos participar de uma por vez. E como era difícil a escolha… Nos outros dias, duas grandes conferências – uma pela manhã e outra à tarde – e novamente, em cada período, 15 outras menores, com duração de uma hora. Os 20 mil participantes se dividiam.

O 8º Encontro Mundial das Famílias encerrou-se em locais abertos, com a presença do Papa Francisco. Na Santa Missa, dia 27 de setembro, lembrou que “Deus semeia, que somos procurados por Ele, que Ele está à nossa espera”.

Por Prof. Carlos Martendal