Para promover o cuidado pastoral mediante cooperação, diversas paróquias mais próximas e outros organismos eclesiais presentes na mesma região são, na Arquidiocese, unidos em Foranias (cf. Cân. 374, § 2).

A Forania é uma forma institucional de cooperação entre as Paróquias de um mesmo território pastoralmente homogêneo, que viabiliza a realização da pastoral de conjunto, assumindo, também, a unidade do clero de uma mesma região entre si e com os demais membros do povo de Deus. Destacam-se, assim, ao mesmo tempo, os princípios comunitário e hierárquico, próprio de uma eclesiologia de comunhão.

A Arquidiocese de Florianópolis está organizada em duas Regiões Episcopais e 13 Foranias:

MAPA FORANIAS - CópiaRegião Episcopal Sul:
1) Forania Florianópolis Centro-Sul
2) Forania Florianópolis Norte
3) Forania Florianópolis Continente
4) Forania São José
5) Forania São José – Barreiros
6) Forania Palhoça
7) Forania Santo Amaro
8) Forania Biguaçu

Região Episcopal Norte: 

9) Forania Tijucas
10) Forania Itapema
11) Forania Camboriú
12) Forania Itajaí
13) Forania Brusque

São finalidades específicas da Forania:
a) o anúncio do Evangelho, a formação e o sustento da fé no respectivo território;
b) a comunhão entre as Paróquias e outras realidades eclesiais presentes na sua circunscrição;
c) a coordenação das diversas ações de evangelização e atividades pastorais no âmbito territorial e a articulação em âmbito paroquial e arquidiocesano;
d) o cultivo da fraternidade e da formação permanente do clero;
e) a promoção da corresponsabilidade de todos os fiéis cristãos (leigos, religiosos e clérigos) na ação evangelizadora e nas atividades pastorais.
Caberá à Forania, sob a coordenação do Vigário Forâneo e a participação efetiva do respectivo Pároco, organizar e articular o atendimento espiritual e pastoral das realidades socioassistenciais e religiosas comuns à região (hospitais, asilos, orfanatos, estabelecimentos penais, cemitérios, instituições de ensino, casas religiosas e outros), com a colaboração dos demais clérigos, religiosos e leigos da Forania.
A Forania assumirá, em sintonia e em comum acordo com os respectivos Reitores , a incumbência de animar a Pastoral dos Santuários diocesanos em sua circunscrição, para que sejam centros irradiadores da Palavra de Deus, local privilegiado da celebração dos Sacramentos, lugar da acolhida evangélica dos peregrinos e centro de profunda devoção e piedade.

A Forania é assim estruturada:
a) Vigário Forâneo;
b) Conselho Pastoral da Forania;
c) Conselho dos Padres da Forania;
d) Conselho dos Diáconos da Forania.

 

Vigário Forâneo

Vigário Forâneo é o presbítero colocado à frente da Forania, devendo ser um dos colaboradores mais próximos do Arcebispo. Sua função, que é principalmente pastoral, sem perder também o caráter jurídico-administrativo, consiste na animação do presbitério local e na promoção e coordenação das atividades pastorais comuns no âmbito da Forania.

O Vigário Forâneo deverá ter verdadeira solicitude apostólica pela sua Forania, sendo, ao mesmo tempo, animador da vida e da fraternidade presbiteral, coordenador da ação evangelizadora e pastoral em sua circunscrição, e servidor de todos.

O Vigário Forâneo é nomeado pelo Arcebispo, depois de ouvidos os presbíteros e os diáconos que exercem o ministério na Forania.

Os presbíteros e os diáconos da Forania, em dia determinado previamente, reunir-se-ão para a apresentação de nomes para a função de Vigário Forâneo. O Arcebispo, então, procederá, em tempo oportuno, à instituição do Vigário Forâneo.

O Vigário Forâneo será nomeado por dois anos, podendo ser reconduzido por mais um mandato, após novo processo de consulta.