Integrantes do Apostolado da Oração e de outras pastorais, receberam na tarde de domingo, 4 de novembro, na Igreja Matriz São Luís Gonzaga, os símbolos vocacionais que estão percorrendo as paróquias da Arquidiocese de Florianópolis. O ícone do Discípulo Missionário, o barco e a cruz chamam atenção para a necessidade de reforçar a cultura vocacional em todas as comunidades, a fim de despertar as diferentes formas de vocação: sacerdotal, religiosa, leiga e matrimonial.

Na chegada dos símbolos, o pároco padre Magnos Caneppele, explicou o significado dos objetos e propôs uma reflexão em torno da missão deixada por Jesus: ‘Ide pelo mundo inteiro e anunciai o Evangelho a toda criatura’. O pároco reforçou a importância de rezar pelas vocações e de seguir os anseios de Cristo, assim como fez São João, figura exemplar de jovem que escolheu seguir a Cristo e se tornou o discípulo amado de Jesus. Além do quadro, a cruz amarela, símbolo dos cristãos, da fé em Jesus Cristo e da missão de todo batizado de evangelizar; e o barco cor ciano, símbolo vocacional da Igreja de Cristo e da unidade dos cristãos; foram colocados em lugar de destaque no presbitério.

Após as orações iniciais, a comunidade fez um terço vocacional, seguido de adoração e missa pelas vocações, que contou com a participação de 18 seminaristas do Convento Sagrado de Jesus, que conduziram o ícone do Discípulo Missionário, o barco e cruz, pelo corredor central da Igreja, durante o início da celebração. Durante o momento de homilia, o seminarista e coordenador da Pastoral Vocacional, Jeferson Caldas, refletiu sobre a Solenidade de Todos os Santos, celebrada no domingo, e chamou atenção para a passagem de Lucas 5, 5. “ ‘Por causa da Tua palavra, lancei a minha rede’. É em volta da mesa da Palavra que temos que assumir nossa primeira vocação que é a de ser Santos. Todos somos chamados a ser Santos dentro da vocação que escolhermos seguir. A vocação é dom de Deus em nossas vidas e somos felizes, porque somos chamados a ser filhos de Deus. E para alcançarmos essa Santidade, precisamos enfrentar muitas tribulações ao conduzirmos nosso barco. E para ter êxito, precisamos parar para pensar, que se Jesus é o Santo dos Santos, então precisamos ser parecidos com Ele. Para isso, o que podemos mudar e melhorar? Quais atitudes devemos tomar para chegar à Santidade?”, declarou o seminarista.

A passagem dos símbolos faz parte da Jornada Vocacional que irá percorrer as treze foranias da Arquidiocese até o dia 25 de novembro. Na segunda-feira, 5 de novembro, o ícone do Discípulo Missionário, o barco e a cruz seguiram para a Paróquia São José, em Botuverá.

Por Ideia Comunicação

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*