Foto: Joel José Schvambach

Nesta última quinta-feira, 15, nas igrejas de todo o mundo, aconteceu o dia de Corpus Christi. Data importante para os católicos, em que se celebra o Mistério da Comunhão. Na Arquidiocese, não foi diferente. Além das paróquias, também foi realizado na Catedral Metropolitana de Florianópolis a Missa seguida de procissão, conduzidas por Dom Wilson Tadeu Jönck.

Foto: Joel José Schvambach

Foto: Joel José Schvambach

A Celebração Eucarística iniciou às 15h com a Catedral lotada. Na homilia, o arcebispo falou que a comunhão “nos ajuda a superar os desafios do dia-a-dia deste mundo que vivemos” e que neste alimento “Cristo desenvolverá em nós aquelas qualidade que nos assemelham a ele”. No final do sermão, Dom Wilson concluiu que diante da situação que o Brasil vive atualmente, a Eucaristia ajudará o país atravessar por este deserto, pois a ela “leva a atração de praticar sempre o bem”.

Após a Missa, os mais de três mil fiéis seguiram para as ruas da Capital, onde foi realizada a procissão de Corpus Christi. Era nítida a emoção no rosto de cada pessoa ao caminhar junto com Cristo, desde os mais jovens até os idosos. A postulante da Comunidade Shalom, Camila Farias da Silva, 18 anos, afirmou que “mesmo diante da nossa indignidade, Jesus vem com misericórdia e nos dá a sua própria carne”. Dona Vanda Vidal, 79 anos, disse que a comunhão é essencial na vida dela. “Quando comungo, eu sinto uma felicidade dentro de mim. Quando eu fico sem comungar, eu sinto um vazio, parece que algo que está faltando”, confessa Vanda.

Foto: Joel José Schvambach

A procissão de Corpus Christi mostrou mais uma vez que a Eucaristia é essencial na vida de todos, e que sem ela, o vazio aumenta dentro do coração de cada pessoa. Que Cristo possa estar sempre vivo dentro cada um para que as obras deles sejam realizadas.

CONFIRA TODAS AS FOTOS

 

 

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*