De 18 a 25 de junho se celebra em todo Brasil a 32ª Semana do Migrante que tem como tema: Migração, biomas e bem viver.

A Pastoral do Migrante (PM) é responsável por acolher e auxiliar os estrangeiros que decidiram adotar a região da Grande Florianópolis como lar. Fundada em 1996, com a vinda dos Missionários de São Carlos para Arquidiocese de Florianópolis, a pastoral atende em média 45 migrantes por dia.

Atualmente, os haitianos são os migrantes em maior número. Além deles, a PM recebe muitos latino-americanos, dentre eles, argentinos, equatorianos e uruguaios.

O Jornal da Arquidiocese bateu um papo com a agente social da Pastoral do Migrante, Tamajara da Silva. A antropóloga conta que uma das maiores dificuldades que os migrantes enfrentam é a comunicação. “Não há cursos particulares voltados para eles, a maioria é pensada somente para um grupo”, afirma Tamajara.

Além deste fator, a falta de emprego é outro obstáculo que os estrangeiros enfrentam. “O idioma dificulta a inserção deles no mercado de trabalho. Os latinos têm menos dificuldades por causa do setor de turismo”, explica a antropóloga. Em contrapartida, os haitianos, sírios e turcos têm grande dificuldade para serem contratados, pois a comunicação torna-se uma barreira. “É muita burocracia. Se para nós brasileiros já é complicado preencher uma ficha de recursos humanos, imagina para eles”, analisa Tamajara.

Hoje, a Pastoral do Migrante conta uma equipe grande de voluntários, porém ainda não existe uma estrutura para comportar esse grupo e proporcionar um ambiente digno de atendimento para os estrangeiros. A atual sede precisa de doações de alimentos, mas não há espaço suficiente para armazenar os mantimentos.

Nova sede

Em setembro de 2016, o Governo do Estado de Santa Catarina assinou um termo de contrato com a Ação Social Arquidiocese (ASA) para a execução do Centro de Referência do Imigrante, que seria instalado no Terminal Rodoviário Rita Maria, em Florianópolis. Até o momento, porém, não se tem um posicionamento concreto por parte da Secretaria Estadual de Assistência Social quanto ao início da obra. A ASA aguarda a definição do local e o repasse do recurso para a execução do centro de referência.

Ajude a Pastoral do Migrante!

Telefone: (48) 3225-7043
Endereço: R. Treze de Maio, 62, José Mendes, Florianópolis.

Matéria publicada no Jornal da Arquidiocese, página 10, edição de junho de 2017

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*