A Igreja vive em setembro o “Mês da Bíblia”, como já é tradição desde o ano de 1971. A escolha do mês está associada à memória do tradutor da Bíblia para o latim, São Jerônimo, celebrado no dia 30 de setembro.

O mês da Bíblia 2017 tem como tema “Para que n’Ele nossos povos tenham vida” e o lema “Anunciar o Evangelho e doar a própria vida” (1Ts 2,8). Trata-se de um convite para conhecer Jesus e sua proposta de vida, e partilhar com as demais pessoas.

O livro de estudo deste ano é a Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses, que deixa transparecer os desafios e as propostas de uma igreja em formação.

Segundo a Constituição Dogmática Dei Verbum, “a Bíblia deve inspirar toda ação evangelizadora da Igreja começando pela catequese, a pregação e a vida da Igreja, além de constituir a alma da teologia”.

Desde o ano de 2016, a Arquidiocese trabalha nas paróquias o processo da Iniciação à Vida Cristã (IVC), através de um itinerário que compreende cinco anos. Foi aprovada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), na última Assembleia Geral, o Documento 107 que traduz para o Brasil inteiro este processo. Este documento se chama “Iniciação à Vida Cristã: itinerário para formar discípulos missionários”.

Mas existe ligação da Bíblia, da Palavra de Deus, com a Iniciação à Vida Cristã? O Jornal da Arquidiocese foi em busca da resposta a esta pergunta:

Para a coordenadora do Serviço de Animação Bíblico-Catequético, a Palavra ocupa um lugar privilegiado na IVC

No caminho da Iniciação à Vida Cristã, a Palavra de Deus ocupa um lugar privilegiado, pois ela alimenta, fortalece, ilumina e compromete no seguimento de Jesus Cristo.

Na entrevista, a coordenadora arquidiocesana, Irmã Marlene Bertoldi, sugere algumas das propostas de ligação da IVC com a Palavra. Ela explica: “A meta da catequese é o seguimento de Jesus. Como conhecer Cristo, se não através da Palavra? Na IVC precisamos habituar os que vivem este processo a gostar de ter nas mãos a Palavra de Deus, sobretudo, torná-la prática na vida, através da leitura orante. Os próprios encontros do itinerário da iniciação foram construídos tendo sempre a centralidade na Palavra”.

Irmã Marlene prossegue: “Outro modo de encantar os catequizandos com a Palavra é usar a linguagem simples da narrativa. De maneira que, encantados, eles possam querer sempre mais ter nas mãos os textos bíblicos. A fé cristã é transmitida e por isso sempre se crê com os outros. A Palavra se torna viva através do testemunho de uma fé convicta. Neste sentido, em todas as famílias onde o filho está no caminho da IVC, ele deve perceber como os adultos apreciam, refletem e vivenciam a Palavra, também através do testemunho. Vendo os próprios familiares com a Bíblia na mão, os filhos passam a dar valor à ela. E ainda, os próprios componentes da família se habituam a fazer o exercício dentro de casa, com o uso da Palavra. A Bíblia não serve de enfeite. Toda ação eclesial necessita colocar seus interlocutores em contato direto com a Palavra revelada, para que aconteça uma verdadeira Iniciação à Vida Cristã”.

O que mais agrada às crianças…

“Na Iniciação à Vida Cristã gosto de saber sobre a vida de Jesus. Aprendo com as imagens, os desenhos, porque primeiro a gente vê para depois ler o Evangelho. Com isso, entendo bem o texto e fico por dentro da história da salvação através de Jesus, que está nos Evangelhos. Hoje posso dizer que entendo a Bíblia”.
São José, Paróquia Nossa Senhora do Rosário – Juan Vieira dos Santos – 10 anos – há dois anos na IVC

“Me sinto bem na catequese, tenho amigos, e a cada encontro conheço mais sobre Jesus, através das dinâmicas e da Palavra de Deus. Sempre falo aos meus pais o que acontece na catequese, pois em casa rezamos juntos todos os dias e lemos a Bíblia. Ler a Bíblia é como a gente conversar com Jesus, ali ele nos ensina a fazer o bem. A Palavra de Deus nos orienta”.
Brusque, Paróquia Santa Teresinha – Gabriel da Cunha Debastiane, 09 anos – há dois anos na IVC

Para o catequista é entrar na profundidade…

“A iniciação leva o catequizando a adentrar na Palavra de Deus, porque desde o primeiro encontro é dado destaque para a Bíblia. O catequista apresenta o Evangelho a ser trabalhado na catequese e faz a narrativa do texto bíblico com a ajuda dos desenhos do itinerário. Depois do texto lido em forma de história em quadrinhos, os catequizandos completam as tarjetas com palavras espontâneas. E ainda, para fixar bem o texto, há perguntas para partilhar. Todo encontro circula ao redor da Palavra, e a forma como são trabalhados os textos dos Evangelhos leva o catequizando, ao fazer o caminho da IVC, a conhecer e se apaixonar pela pessoa de Jesus. Esta nova metodologia traz uma riqueza de símbolos e gestos que ajudam a conhecer a Palavra e ter experiência de fé”.
Itapema, Paróquia Santo Antônio – Coordenadora paroquial da IVC, Maria de Fátima Stippe

“A Iniciação à Vida Cristã tem transformado a fé inicial em uma fé progressiva, de forma gradual e permanente. Há um grande interesse e acolhimento pelas famílias comprometidas com a fé dos filhos. A iniciação faz com que todos se voltem a um compromisso maior, ou seja, veem a necessidade do outro e da comunidade, e aos poucos se envolvem e ajudam. Em meio aos encontros com as famílias e na catequese vimos a proximidade com a Palavra. Hoje podemos dizer que a Bíblia está mais presente nas famílias”.
Brusque, Paróquia Santa Teresinha – Coordenadora paroquial da IVC, Iria Pretti Tambosi

“Vivemos em nossa diocese um tempo de graça com o projeto da Iniciação à Vida Cristã. Quando começamos os encontros com as famílias, logo se viu uma grande aceitação e uma mudança na forma de participação das famílias, o avivamento de uma fé participativa e o reencontro com a Palavra de Deus. Tudo isso fez a família e a comunidade lembrar que Deus, através de sua Palavra, quer estar presente na vida de cada pessoa”.
Brusque, Paróquia Santa Teresinha – Diácono Luis Sérgio Tambosi

“A Palavra de Deus alimenta nossa caminhada no processo catequético, orienta a vida da Igreja, e nela está Jesus, que veio viver conosco. Buscamos vivenciar em todos os momentos possíveis da iniciação o uso de símbolos que ajudam a gerar sentido nos catequizandos, para valorizar a Palavra de Deus”.
Biguaçu, Paróquia São João Evangelista – Coordendora paroquial da IVC – Paula Regina Barbosa

Faz parte da vida do jovem…

“A vivência da Palavra de Deus faz parte da minha vida, principalmente em relação ao amor de Deus que se manifesta no amor ao outro. Deus nos ama e devemos amar ao próximo da mesma forma. Nesse sentido, a virtude da caridade está presente na minha vida, que nada mais é do que o amor e a preocupação com o outro. Demonstro a caridade quando ajudo minha mãe que é idosa a fazer as tarefas que ela não tem mais condições de realizar, ao rezar diariamente o terço, entre tantas outras situações. É através da virtude da caridade que busco progredir no amor de Deus”.
Florianópolis, Paróquia Santíssima Trindade – Marcela Rautenberg – 24 anos – Bacharel em Direito – há sete meses na IVC

Alegria para os pais dos catequizandos…

“Acreditamos que nós, pais, temos o dever de ajudar os catequistas. O Enzo nos surpreende a cada dia com suas próprias iniciativas. Uma delas foi querer ser coroinha. Então incentivamos e nos sentimos realizados quando, no dia 13 de maio, ele serviu o altar pela primeira vez. Em casa, ele também nos convida a rezar e agradecer. Os estudos bíblicos nos ajudam e facilitam na grande tarefa de apresentar a criança no caminho da fé, da esperança e da alegria em família”.
São José, Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes e São Pedro, Serraria – Evandro e Magally, pais do catequizando Enzo

“O novo método nos faz criar laços de amizades e unidade com outras famílias. Também é um incentivo à nossa participação na vida da Igreja, auxílio nas atividades paroquiais, como em festas e na liturgia. Tudo isso desperta em nós a necessidade de rezar mais, inclusive ler mais a Bíblia”.
Brusque, Paróquia Santa Teresinha – Josemir Perin, pai do João, 09 anos

Matéria publicada no Jornal da Arquidiocese, páginas 06 e 07, edição de setembro de 2017

Seu endereço de email não será publicado. Os campos marcados com * são obrigatórios

*