(Criada a 13 de janeiro de 1990)

CNPJ 83.932.343/0055-04

Endereço: Rua Estefano José Vanoli, 1029 São Vicente

88309-203 Itajaí – SC

Fone/Fax: (47) 3241-2742

E-mail:  [email protected]

Facebook: Paróquia São Vicente de Paulo.

Expediente: segunda das 14h às 17h30

de terça a sexta, das 8h às 11h30 e das 14h às 17h30

sábado, das 8h às 11h30

Secretárias    Tainara Cristina Machado

Lizandra Maraski Medeiros

Pároco   Pe. André Gonzaga

Vigário Paroquial  Pe. Isaltino Dias     

Diáconos   

Evaldo Vanderlei da Silva

Everaldo Marcos Machado

Guillermo Enrique Gómez Quezada

Juarez Carlos Blanger

Comunidades        

Padroeiro(a)                                                                                        Localidade                                          Criação

 1    Matriz: São Vicente de Paulo                                         São Vicente                                          1990

2    Nossa Senhora de Fátima                                                  Cidade Nova                                       1989

 3    Nossa Senhora Aparecida                                                Cidade Nova                                        1991

4    Santa Clara de Assis                                                             Rio bonito                                             1995

5    São Lourenço                                                                         Cidade Nova                                          1995

6    Divino Espírito Santo                                                        Bambuzal                                               2005

 7    São Francisco de Assis                                                    Lot. Nilo Bittencourt

HISTORICO

Criada em 13 de Janeiro de 1990 (25 anos)

Em 1968, a atual comunidade de São Vicente de Paulo não passava de menos de mil famílias morando em casas voltadas para o rio Itajaí, vivendo da pesca e da agricultura de subsistência. Mas ali, o então pároco de São João Batista, Monsenhor Agostinho Staehelin, viu a possibilidade de uma futura comunidade católica. Itajaí começava a crescer e acreditou que aquela localidade, de poucas casas, de terra ruim e conhecida como “Vassourão”, seria a alternativa para desafogar o crescimento do centro da cidade.

Dona Norma Miranda Coelho, de 61 anos, nascida e criada no bairro, acompanhou todo o processo. “Quando ele adquiriu a propriedade, no dia três de abril de 68, e começou a construção, muitos o chamaram de louco. Mas ele respondia que podia ser louco, mas estava construindo uma igreja para o futuro”, lembra Dona Norma.

Primeiro foi construída uma igreja de madeira, mas logo a comunidade se empenhou na construção de uma igreja maior. Assim deu-se início à construção da igreja, que nunca chegou a ser inaugurada por completo. “A cada etapa fazíamos uma inauguração. Uma maneira de prestar contas à comunidade e chamála a participar da construção”, lembra seu Ivo da Silva.

Ele lembra que a comunidade sempre foi bastante simples, mas de doação e que atendia ao chamado para ajudar. Ivo recorda que em uma das etapas da obra, quando Monsenhor Agostinho chamou a comunidade para o trabalho, apareceu tanta gente que tiveram que se revezar.

A profecia se concretizou. O que eram apenas algumas casas dispersas, se transformou em uma comunidade estruturada e bem organizada. As pouco mais de mil famílias se multiplicaram, e hoje somam mais de 60 mil moradores.

Com o crescimento da comunidade, logo foi surgindo a necessidade de um acompanhamento religioso mais intenso. Assim, em agosto de 1982, Dom Afonso Niehues, então Arcebispo de Florianópolis, nomeou o Pe. José Edgard de Oliveira, vigário de São João Batista, “com o encargo especial de preparar a futura paróquia de São Vicente”.

Mas o sonho só foi realizado oito anos depois. No dia 12 de janeiro de 1990, um Decreto Episcopal assinado pelo mesmo Dom Afonso, elevou a Capela de São Vicente de Paulo à categoria de Paróquia, com território totalmente desmembrado da Paróquia de São João Batista. Seu primeiro Pároco, nomeado e empossado no mesmo dia, foi Pe. Timóteo José Steinbach, ordenado presbítero no ano anterior.