Arcebispo

Dom Wilson Tadeu Jönck, SCJ


Paróquias da Arquidiocese


Florianópolis, Estreito (História)
Paróquia Nossa Sra de Fátima e Sta Teresinha do Menino Jesus

Criada em 25 de Novembro de 1944 (70 anos)

No local atualmente denominado "Estreito", estava localizada uma aldeia dos índios Carijós, chamada Aguti, de quem falavam os primeiros exploradores das costas catarinenses. O povoado nasceu com a Vila do Desterro, que se ergue em frente.

Em 1902, os moradores, já numerosos, iniciaram a construção de uma ermida, que foi benta a 3 de maio de 1904, sob a invocação do Senhor Bom Jesus dos Aflitos, em substituição a um grande cruzeiro que desde os fins do século passado se erguia naquele lugar.

Em 1919 era apresentada à Cúria Metropolitana uma planta, com aumentos a se realizarem na Capela do Senhor Bom Jesus dos Aflitos. No ano seguinte, foi autorizada a introdução da Via Sacra na referida Capela.

A 10 de dezembro de 1922 Pe. Jaime de Barros Câmara preside a celebração da bênção de dois sinos (São Pedro e São Paulo) a serem colocados na torre da Igreja.

A construção da Ponte Hercílio Luz, inaugurada a 13 de maio de 1926, foi o início do desenvolvimento do Estreito.

Após a revolução de 1930, o bairro passou a chamar-se João Pessoa.

Em 1936 já se pensava em, novamente, aumentar a igreja atual. Nesta época a Cúria Metropolitana recomendou que já se começasse a pensar na construção de uma Igreja maior, "em local amplo e suficientemente retirado".

Em 20 de maio de 1937 era nomeada pela Cúria Metropolitana uma Comissão destinada a angariar fundos necessários à construção da Igreja Matriz de Nossa Senhora de Fátima e Santa Teresinha, no Bairro João Pessoa, em terreno já adquirido para tal.

A pedra fundamental do novo templo foi lançada a 09 de agosto de 1938. O evento, que contou com a presença do Sr. Arcebispo Metropolitano, do Sr. Interventor no Estado, diversas autoridades e grande número de fiéis, teve uma enorme repercussão na imprensa e junto à população da época.

Em 1950 desmembrou-se do Município de São José, tornando-se sub-distrito da Capital, voltando a ser chamado Estreito.

Por Decreto Episcopal datado de "25 de novembro de 1944, festividade de Santa Catarina Virgem e Mártir, Padroeira da Arquidiocese e do Estado", era criada a Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e Santa Teresinha do Menino Jesus, com território desmembrado da Paróquia de São José.

A nova Igreja Matriz foi inaugurada a 14 de janeiro de 1945, oportunidade em que o Sr. Arcebispo Metropolitano consagrou a Igreja de Nossa Senhora de Fátima e Santa Teresinha do Menino Jesus e seu altar, com as relíquias dos Santos Mártires Anastácio e Agostinho.

Por Provisão de 28 de fevereiro de 1945 foi nomeado o primeiro Vigário da Paróquia Frei Felisberto Imhorst OFM.

Em 23 de junho de 1943 chega, pela primeira vez à Paróquia, vinda de Portugal, a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima. Idêntica visita tornaria a acontecer nos dias 13 e 14 de fevereiro de 1988.

Em 15 de setembro de 1957, quando ocupava o cargo de Vigário da Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e Santa Teresinha do Menino Jesus, Côn. Wilson Laus Schmidt recebeu a notícia de sua escolha para Bispo Auxiliar do Rio de Janeiro.

Em 23 de fevereiro de 1969, na Capela Santa Cruz, (hoje Igreja Matriz de Nossa Senhora do Carmo de Coqueiros), Dom Afonso Niehues, ordenava o primeiro Diácono Permanente do Brasil, Dr. Eduardo Mário Tavares. Diácono Edú e sua esposa, faleceram em desastre automobilístico, próximo a Curitiba no dia 07 de junho de 1978 .

Desde a criação da Paróquia, em diversas ocasiões, encontra-se no Livro de Tombo a denominação de Santuário, ao referir-se à Igreja. Esta aspiração da Comunidade foi concretizada ao se comemorar o 70º aniversário das aparições de Nossa Senhora, em Fátima, Portugal. Atendendo a um pedido expresso, devidamente fundamentado, feito pelos Padres da Comarca do Estreito, no dia 12 de outubro de 1987, em solene Missa Campal presidida pelo Sr. Arcebispo Metropolitano, foi solenemente assinado o Decreto que confere à Igreja Matriz de Nossa Senhora de Fátima à dignidade de Santuário. Segundo o mesmo Decreto, permanece inalterado o título da Paróquia: Nossa Senhora de Fátima e Santa Teresinha do Menino Jesus e o seu Pároco exercerá, cumulativamente, as funções de Reitor do dito Santuário.

Comemorando o evento, foi substituída a cruz que encimava a torre da Igreja, por uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, toda em concreto, medindo 4,5 metros de altura e pesando 1,2 toneladas.

O território inicial da Paróquia do Estreito foi desmembrado, dando origem a 6 novas Paróquias:

11/02/1961 - Paróquia dos Sagrados Corações - Barreiros

01/05/1967 - Paróquia São João Batista e Santa Luzia - Capoeiras

05/07/1972 - Paróquia Nossa Senhora do Carmo - Coqueiros

05/01/1979 - Paróquia Santo Antônio e Santa Maria Goretti - Coloninha

25/07/1980 - Paróquia São José e Santa Rita de Cássia - Jardim Atlântico

07/12/1982 - Paróquia Nossa Senhora da Glória - Balneário

Em maio de 1983, tendo em vista a transferência de seu Pároco para exercer atividades de Capelão do Exército em Brasília, a Paróquia de Nossa Senhora da Glória foi anexada à Paróquia de Nossa Senhora de Fátima e Santa Teresinha. Esta situação perdurou até 09 de março de 1984, quando, novamente aquela Paróquia teve seu Pároco próprio.




, 6650 visitas





©2014 :: Resolução mínima: 1024x768 :: Fone: (48) 3224.4799 :: Florianópolis : SC : Brasil :: v140517g06

By Ilha da WEB